Em caminhada em São Bernardo do Campo, Haddad critica postura de Tarcísio em episódio em Paraisópolis

O candidato Fernando Haddad (PT) disse ter achado “muito chato o que aconteceu em Paraisópolis”, fazendo referência ao episódio em que um integrante da equipe do candidato Tarcísio de Freitas (Republicanos) pediu para um cinegrafista da TV Jovem Pan apagar imagens feitas de um tiroteio que interrompeu uma agenda de campanha.

A fala foi feita durante uma caminhada do petista por São Bernardo do Campo (SP), nesta sexta-feira. Na ocasião, Haddad comentava sobre o último debate entre os candidatos ao Palácio dos Bandeirantes, na TV Globo, realizado na noite da quinta-feira.

— Quero dizer para vocês que eu esperava que a resposta do Tarcísio fosse outra. Esperava que ele fosse lamentar a atitude da equipe e fosse batalhar para que as questões ali fossem elucidadas, afinal de contas é um episódio que precisa ser explicado. Isso não significa levantar suspeitas sobre ninguém, significa fazer o trabalho que tem que ser feito — declarou Fernando Haddad.

Ainda, o ex-prefeito de São Paulo aproveitou para falar sobre o crescimento nas pesquisas eleitorais nesta semana e atrelou a guinada à proposta de Tarcísio de Freitas de privatizar a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

— Em 15 dias eu cresci quatro pontos no interior, isso porque nós dialogamos muito com o tema caro ao interior que é água. Essa coisa da privatização da Sabesp é um absurdo. Um mundo inteiro está restatizando as empresas de fornecimento de água, porque deu errado. É um bem essencial, tem que ser mantido na esfera pública e Sabesp é uma empresa com governança corporativa, ela tem ações em bolsa, já é aberto o capital dela, basta você fazer parcerias público privadas subconcessões.

Sobre possíveis casos de violência política no dia do segundo turno das eleições, Haddad diz não saber qual será o comportamento de Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, que durante toda campanha atacou a segurança das urnas eletrônicas.

— Não sabemos qual vai ser o comportamento do Bolsonaro [...]. Ele tem um ciclo tímido, né? Tem horas que ele está eufórico e manda comprar armas. Tem horas que ele se deprime dizendo que vai aceitar o resultado. Nós não sabemos [...]. Só um médico para nos ajudar a saber o que vai acontecer no domingo com ele porque ele.

Durante a agenda, Haddad também elogiou o debate da TV Globo e criticou a ausência do candidato do Republicanos para o embate em outras ocasiões.

— Acho que o debate foi muito bom, só lamentei só ter tido dois, podíamos ter tido os cinco previstos, mas acho que deu para a população de São Paulo saber o que está em jogo saúde, na educação, na segurança pública.