Em Davos, André Esteves, do BTG, evita falar de Americanas e diz não ver motivos de preocupação para o Brasil

O banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, disse em um painel que discute desafios para emergentes no Fórum Econômico Mundial que não há razões para se preocupar com o Brasil. Para ele, os atos golpistas do dia 8 de janeiro mostram que as instituições do país são fortes e que os protestos foram contidos em poucas horas.

Crise da Americanas: Justiça decide que BTG não tem de devolver R$ 1,2 bi para varejista

Capital: O próximo passo do BTG em sua guerra com a Americanas

O banqueiro do BTG definiu os atos golpistas de apoiadores de Jair Bolsonaro como uma “versão menor” do Capitólio.

Perguntado sobre as perspectivas econômicas, Esteves disse que o mercado financeiro precisa entender melhor os planos do governo Lula de compromisso fiscal, mas reforçou que o país tem bons fundamentos.

Brasil busca nova regra fiscal: Veja o modelo adotado em outros países

Na terça-feira, Esteves organizou um jantar privado com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e investidores estrangeiros e empresários nacionais.

No encontro, Haddad falou que o Brasil terá um ambiente mais favorável aos negócios e o Brasil está comprometido com a responsabilidade fiscal e crescimento sustentável.

Perguntado sobre Americanas, Esteves não quis comentar o assunto.