Em decreto, Prefeitura de Ribeirão Preto limita público em velórios da cidade

MARCELO TOLEDO

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) anunciou, nesta quinta-feira (19) um decreto de estado de emergência na cidade que inclui, entre outras medidas, a limitação de público em velórios da cidade.

A partir de agora, os velórios estarão limitados a no máximo dez pessoas por sala e somente poderão funcionar das 7h às 19h.

"Caso o sepultamento não aconteça [no período], deverão fechar e serem reabertos no dia seguinte, a partir das 7h", afirmou o prefeito de Ribeirão, Duarte Nogueira (PSDB), no Palácio Rio Branco, sede do governo.

Em caso de descumprimento, o autor estará sujeito a ser punido por crime contra a saúde pública, conforme o prefeito. O decreto de emergência é válido por 180 dias.

Além disso, também foi anunciado o fechamento dos quatro shopping centers da cidade a partir de sábado (21). Segundo Nogueira, foi uma recomendação da prefeitura, acatada pelos quatro centros de compras. O fechamento ocorrerá inicialmente até 5 de abril, mas poderá ser prorrogado.

Cinemas, clubes, academias, clínicas de estética e outros tratamentos de beleza, boates, casas noturnas, pubs, teatros, casas de espetáculos, museus, centros culturais e bibliotecas também terão suas atividades suspensas.

"Seria ingenuidade acreditar que a gente não tenha o vírus circulando em Ribeirão Preto, mas 80% das pessoas têm sintomas leves e não serão diagnosticadas com coronavírus", disse o secretário da Saúde de Ribeirão, Sandro Scarpelini.

De acordo com ele, as medidas anunciadas pela prefeitura têm como objetivo seguir determinações tomadas em outros países. "A melhor proposta que vemos no mundo, em países que conseguiram controlar melhor o avanço da epidemia, foram as medidas de isolamento social", disse.

Ribeirão Preto tem, até a noite de quarta-feira (18), 71 casos suspeitos da doença. Outros 13 foram descartados. Não há caso confirmado no município.