Em despedida, Alcolumbre diz que, apesar de enfrentamento institucional, buscou diálogo com Poderes

RENATO MACHADO E THIAGO RESENDE
·1 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 01.02.2021 - ELEIÇÕES-SENADO-DF: O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), caminha pelo túnel do tempo do Senado, em Brasília. Nesta segunda-feira (1) ocorre a eleição que decidirá quem será o novo presidente do Senado. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 01.02.2021 - ELEIÇÕES-SENADO-DF: O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), caminha pelo túnel do tempo do Senado, em Brasília. Nesta segunda-feira (1) ocorre a eleição que decidirá quem será o novo presidente do Senado. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse nesta segunda-feira (1º) que realizou uma gestão reconhecida pela pacificação e entendimento, construindo pontes entre Poderes apesar de passar por momentos de inquietação política.

"A gente passou um período de muita turbulência, de muita polarização política, de muito enfrentamento institucional. A gente teve como presidente do Senado e chefe do poder Legislativo a oportunidade, em vários episódios, de pedir a pacificação, pedir a união dos brasileiros em torno de causas, ser uma ponte em relação aos outros Poderes. Quando muitas das vezes alguns atores faziam de tudo para destruir as pontes, eu sempre fiz de tudo para construir as pontes", discursou Alcolumbre em balanço de sua gestão.

Alcolumbre foi eleito em fevereiro de 2019. Na eleição desta segunda, ele apoia a senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), favorito na disputa e candidato do governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Antes do discurso, Alcolumbre esteve com Pacheco. A chamada sessão preparatória (em que ocorre eleição) estava prevista pra 14h, mas começou por volta de 15h.