Em discurso de Ano Novo, presidente de Taiwan alerta China contra "aventureirismo militar"

·1 min de leitura

Por Sarah Wu

TAIPÉ (Reuters) - A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, enviou uma mensagem de Ano Novo para a China no sábado: o conflito militar não é a resposta, mas Pequim respondeu com um severo aviso de que se Taiwan cruzar qualquer linha vermelha, provocará uma "catástrofe profunda".

A China afirma que Taiwan --de governo democrático-- é um território de sua propriedade, e tem aumentado a pressão militar e diplomática nos últimos dois anos para fazer valer suas reivindicações de soberania.

"Devemos lembrar às autoridades de Pequim que não julguem mal a situação e evitem a expansão interna do 'aventureirismo militar'", disse Tsai neste sábado em seu discurso de Ano Novo, transmitido ao vivo pelo Facebook.

Taiwan afirma ser um país independente e promete repetidamente defender sua liberdade e democracia.

O presidente chinês, Xi Jinping, disse em seu discurso de Ano Novo na sexta-feira que a unificação completa da "pátria mãe" é uma aspiração compartilhada por pessoas de ambos os lados do estreito de Taiwan.

Neste sábado, após o discurso de Tsai, o porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan em Pequim Zhu Fenglian declarou: "Estamos dispostos a nos empenhar pela perspectiva de uma reunificação pacífica".

"Mas se as forças separatistas da 'independência de Taiwan' continuarem a provocar e coagir, ou mesmo cruzar qualquer linha vermelha, teremos que tomar medidas decisivas."

A busca pela independência só jogará Taiwan em um "abismo profundo" e trará uma "catástrofe profunda", acrescentou Zhu.

(Reportagem adicional de Ben Blanchard e Ryan Woo em Pequim)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos