Em discurso combativo, Putin rejeita sanções ocidentais "estúpidas"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante discurso no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, acusou o Ocidente nesta sexta-feira de arrogância colonial e de tentar esmagar seu país com sanções "estúpidas" que equivalem a uma "blitzkrieg" (guerra-relâmpago, em alemão) econômica.

Dirigindo-se ao Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, evento realizado este ano com quase nenhuma participação ocidental, ele voltou várias vezes ao tema da soberania e força da Rússia diante do que apresentou como hostilidade ocidental.

"Somos pessoas fortes e podemos enfrentar qualquer desafio. Como nossos ancestrais, resolveremos qualquer problema, toda a história milenar de nosso país fala disso", disse.

Putin foi aplaudido no auditório quando reafirmou sua determinação de continuar a "operação militar especial" na Ucrânia que desencadeou o que ele disse ser uma enxurrada "sem precedentes" de sanções econômicas ocidentais.

Ele afirmou que o principal objetivo da incursão era defender "nosso" povo na região de Donbas, em grande parte de língua russa, no leste da Ucrânia --uma justificativa que Kiev e o Ocidente classificam como um pretexto infundado para uma campanha que já levou à ocupação de partes do sul da Ucrânia muito além de Donbas.

Em um discurso que durou mais de uma hora, Putin disse que os soldados russos em Donbas também estavam lutando para defender os próprios "direitos de assegurar o desenvolvimento" da Rússia.

"O Ocidente se recusou fundamentalmente a cumprir suas obrigações anteriores, acabou sendo simplesmente impossível chegar a novos acordos com ele", disse Putin.

"Na situação atual, em um cenário de riscos e ameaças crescentes para nós, a decisão da Rússia de realizar uma operação militar especial foi forçada --difícil, é claro, mas forçada e necessária."

Ele chamou a campanha de ação de um "país soberano que tem o direito de defender sua segurança" e acusou o Ocidente não apenas de estimular o sentimento anti-russo, mas também de "apropriação militar ativa do território ucraniano".

Putin disse que os Estados Unidos se consideram "emissários de Deus na Terra" e que as sanções ocidentais foram baseadas em uma falsa premissa de que a Rússia não tem soberania econômica.

Washington e seus aliados estão tentando "mudar o curso da história", segundo ele.

Putin afirmou ainda que a União Europeia pode perder mais de 400 bilhões de dólares este ano devido às sanções, que, segundo ele, vão refletir sobre aqueles que as impuseram.

(Reportagem da Reuters)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos