Em discurso de Natal, rainha Elizabeth agradece médicos e pede esperança e união

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A rainha Elizabeth, 94, fez o seu discurso anual de Natal nesta quinta-feira (25), lembrando que ninguém poderá celebrar o nascimento de Jesus "de maneira normal". "Pessoas de todas as religiões não conseguiram se reunir como gostariam em seus festivais. Mas precisamos que a vida continue", afirmou a rainha, que pediu para que todos mantenham a esperança e a união diante de extremas dificuldades. "Hoje, nossos serviços de linha de frente ainda brilham para nós, apoiados pelas incríveis conquistas da ciência moderna, e temos uma dívida de gratidão com eles. Continuamos a nos inspirar na gentileza de estranhos e nos consolamos. Mesmo nas noites mais escuras, há esperança no novo amanhecer." Elizabeth falou sobre como sentiu falta de ir à igreja e encontrar amigos, mas ora por aqueles que não poderão abraçar entes queridos com um simples aperto de mão porque eles se foram. O discurso da rainha foi gravado no Castelo de Windsor. O conselho médico foi seguido e as únicas pessoas permitidas na sala foram dois cinegrafistas e um outro membro da produção, segundo informou reportagem da revista People. Elizabeth usou um vestido azul com um broche de diamantes em formato de concha, já usado várias vezes. Nesta ano, ela rompeu com a tradição de celebrar o Natal na Sandringham House, em Norfolk, com a família. Desta vez, ela e o marido estão isolados no Castelo de Windsor, onde passaram a maior parte deste ano.