Em disputa com o Banco do Brasil, Caixa anuncia abertura de 30 agências para o agronegócio

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — Na disputa com o Banco do Brasil (BB) pelo agronegócio, a Caixa Econômica Federal informou, nesta quarta-feira, que vai abrir mais 30 agências, além das 51 já anunciadas para este ano com atuação exclusiva no setor.

A instituição entrou pela primeira vez no Plano Safra (2021-2022) e pretende emprestar ao todo R$ 35 bilhões, sendo R$ 7 bilhões com recursos subsidiados pelo Tesouro Nacional.

Novata no segmento, a instituição defendia R$ 15 bilhões em recursos subsidiados. Mas o valor foi reduzido.

O plano da instituição é focar, inicialmente, no financiamento de construção de silos e armazéns, em projetos de irrigação, agricultura familiar e médios produtores rurais, sobretudo na região Centro-Oeste.

Conforme revelou o GLOBO, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, pressiona o governo para operar o Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), administrado pelo BB. O agronegócio é um dos principais negócios do fundo.

— A Caixa é o banco da habitação, mas queremos ser o banco do agronegócio — afirmou Guimarães durante coletiva transmitida pela rede social, ao lado da ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Guimarães admitiu que o banco ainda está na fase de aprendizagem e por isso, o foco será em investimentos nas atividades pouco exploradas pela concorrência. Ao contrário das atividades de custeio.

Neste ano, a Caixa destinou ao agronegócio R$ 11,3 bilhões. A instituição já foi multada pelo Banco Central (BC) em anos anteriores por não aplicar o mínimo exigido nas captações da poupança no agronegócio.

A ministra da Agricultura prometeu destinar mais recursos para a Caixa no meio do ano por meio de remanejamento de verba, dependendo do ritmo das contratações. Ela destacou que a falta de silos e armazéns é dos gargalos do setor, tem relação com a instabilidade no preço dos produtos agrícolas, além de causar problemas de saturação da infraestrutura no período de colheita.

BB anuncia R$ 135 bilhões para o agronegócio

O BB também informou em nota que pretende destinar R$ 135 bilhões no financiamento na nova safra. O volume representa aumento de 17% na comparação com o aplicado na safra anterior.

No texto, o BB lembra que, em maio, atingiu a marca histórica de R$ 200 bilhões no volume da carteira de crédito de agronegócios, o que corresponde a cerca de 54% de todo o crédito rural disponibilizado no sistema financeiro nacional.

O plano safra (2021-2022) foi anunciado nessa terça-feira em cerimônia no Palácio do Planalto. No discurso, o presidente Jair Bolsonaro fez elogios a Guimarães pela abertura de novas agências. Ao se dirigir ao presidente do BB, Fausto Ribeiro, disse “vamos no limite, vamos ajudar o que for possível essas pessoas”, se referindo à agricultura familiar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos