Em Duque de Caxias, terreno de hospital de campanha sofre com alagamentos frequentes

Em Nova Iguaçu, Iabas também alegou necessidade de obras de infraestrutura no terreno

No hospital de campanha de Duque de Caxias (com previsão de 200 leitos), na Baixada Fluminense, o Iabas, OS responsável pela obra e operação da unidade, alega que o terreno cedido para a instalação o hospital sofria com frequentes alagamentos, sendo preciso incorporar ao projeto a implantação de uma rede de drenagem para captação de águas pluviais, ralos e limpeza na rede onde seria feito o deságue, além de obras de terraplenagem. Com isso, mais um atraso, de 17 dias.

A situação dos atrasos se repete em Nova Friburgo, Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu e Nova Friburgo. Cada uma das três unidades terá capacidade para cem pacientes, em 60 leitos de enfermaria e 40 de UTI.

O Iabas afirma que houve também, por parte da Secretaria estadual de Saúde, o descumprimento do pagamento de parcelas contratuais, atrasando a entrega dos respiradores adquiridos da China, que seriam entregues no Galeão no dia 10 de maio e que chegarão no sábado. O ofício é assinado pelo diretor jurídico João Carlos dos Santos Sena.

Das unidades de campanha já inauguradas, apenas a do Leblon, erguida em parceria com a iniciativa privada, está com todos os leitos disponíveis. No hospital do Parque dos Atletas, também construído com ajuda de empresas, há cem leitos ainda indisponíveis, que segundo a rede D’Or, devem ficar prontos até o fim de semana.

Estado cria comitê de supervisão

Em nota, a Secretaria estadual de Saúde (SES) informou ontem que o governo do estado criou ontem o Comitê de Supervisão dos Hospitais de Campanha, em apoio à secretaria, para fiscalização da estrutura montada para o atendimento às vítimas da Covid-19.

Ontem, foi realizada reunião dos membros do comitê, incluindo o secretário da Saúde Fernando Ferry, com representantes do Iabas. Na reunião, foi cobrado um plano para a entrega das unidades, compra de equipamentos, contratação de pessoal e abertura de leitos o mais rapidamente possível.

“A SES reforça que, nos últimos dois meses, 1.159 novos leitos para tratamento de pacientes suspeitos ou confirmados da Covid foram abertos em todo o estado do Rio. Desse total, 1.002 são em hospitais de referência para o tratamento de coronavírus, sendo 437 UTIs e 565 enfermarias”. A pasta diz ainda que, nos últimos dez dias, recebeu 154 respiradores do Ministério da Saúde e do Banco Itaú, que já foram distribuídos para as unidades.