Em entrevista ao UOL em 27 de julho de 2022, Lula não afirmou que acabaria com o PIX

O candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não afirmou em entrevista ao UOL em 27 de julho de 2022 que, caso seja eleito, acabará com o método de pagamentos PIX. No entanto, a captura de tela de uma suposta matéria, que alude ao site g1 e noticia a declaração, foi compartilhada centenas de vezes nas redes sociais desde o último 16 de setembro. Isso é falso. Uma análise da íntegra do vídeo permite confirmar que o ex-presidente não falou nada sobre o tema e, à AFP, o portal de notícias confirmou não ter publicado tal artigo.

“Acabará com tudo que Bolsonaro fez, Bolsonaro acabou com tudo que ele iniciou e não acabou ... simples assim”, diz uma das publicações que circula no Facebook (1, 2, 3) juntamente com a captura de tela de uma suposta matéria intitulada: “Acabarei com o PIX, afirma Lula”.

Na imagem viral ainda é possível ler: “Em palestra para o UOL na manhã de hoje, o pré-candidato à presidência da república Luiz Inácio Lula da Silva afirmou haver estudos no partido para a extinção da modalidade de pagamento eletrônica conhecida como Pix”.

Captura de tela feita em 21 de setembro de 2022 de uma publicação no Facebook ( .)

Uma busca pelas palavras-chave “Lula”, “entrevista”, “UOL” e “27 de julho” levou ao vídeo de uma entrevista concedida pelo ex-presidente ao jornalista Kennedy Alencar, colunista do UOL, na data mencionada.

Por quase duas horas, Lula foi perguntado sobre vários temas, entre eles, o plano de governo em uma eventual nova gestão. Mas em nenhum momento o candidato mencionou a revogação, suspensão ou o fim do PIX. A conversa entre o jornalista e o ex-presidente pode ser encontrada no site do UOL e no canal do portal no YouTube.

Durante o debate promovido por UOL, Band, Folha de S.Paulo e TV Cultura em 29 de agosto de 2022, o candidato petista também não mencionou o PIX, ou o seu suposto fim, caso seja eleito em outubro de 2022.

No programa de governo da coligação Brasil da Esperança, encabeçada por Lula, disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), também não há menção ao fim dessa modalidade de pagamento.

Uma segunda busca, desta vez no site do g1, pelas palavras-chave “Lula” e “PIX” não levou a nenhuma matéria noticiando que o ex-presidente teria mencionado acabar com o mecanismo.

Procurada pelo AFP Checamos, a assessoria de imprensa do portal de notícias confirmou que o artigo não consta em seu site e que o autor da matéria não faz parte da equipe: “A notícia é falsa e não temos colaborador com o nome de Edgar Mendes no g1”.

Uma comparação entre a publicação viral e a captura de tela de uma reportagem verdadeira do g1 também permite observar diferenças no layout:

Comparação feita em 22 de setembro de 2022 entre uma publicação no Facebook e uma matéria do g1 ( .)

Marcello Bolzan, professor de economia do Instituto de Desenvolvimento e Estudos de Governo (Ideg), explicou ao AFP Checamos em 22 de setembro de 2022 que o PIX é um sistema ligado ao Banco Central (Bacen) em desenvolvimento desde 2018.

Segundo ele, afirmar que alguém vai acabar com o PIX “não faz sentido”, já que “esse sistema tem atributos técnicos e faz parte das normas do Banco Central e do Conselho Monetário Nacional, e o Bacen é autonômo”.

Bolzan indicou ainda que apenas um profundo desconhecedor da realidade afirmaria tal absurdo. Uma pessoa que conheça minimamente o sistema bancário e a economia do país jamais diria que alguém iria derrubar o PIX”.

O AFP Checamos já verificou (1, 2) outros conteúdos que relacionavam uma possível eleição de Lula ao fim do PIX.