Em evento conservador, Bolsonaro diz que venceu eleições de 2018 no primeiro turno

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse neste domingo, sem apresentar provas, que venceu as eleições de 2018 no primeiro turno. Ele participou por transmissão ao vivo surpresa de um evento organizado por seu filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro (SP), o CPAC Brasil.

— O que eu vou falar agora, eu não tenho prova, vou deixar bem claro. No primeiro turno, por indícios fortíssimos, eu ganhei — disse o presidente.

Bolsonaro afirmou que hackers interferiram na votação do primeiro turno da última eleição presidencial e sugeriu que um partido adversário ao seu foi o responsável por contratar os invasores. Em seguida, disse que, como o suposto mandante não fez o pagamento adiantado, os hackers não atacaram o sistema eleitoral no segundo turno, e ele derrotou Fernando Haddad (PT). O próprio Bolsonaro declarou não ter como provar o que disse.

Bolsonaro passou cerca de uma hora colocando suspeição sobre as eleições de 2014, 2018 e 2020, também sem apresentar qualquer prova. Ele afirmou que as últimas eleições municipais não deveriam ter acontecido enquanto um suposto inquérito da Polícia Federal sobre o pleito de 2018, citado por ele na transmissão, não fosse concluído.

No discurso em vídeo, Bolsonaro afirmou que a esquerda pode voltar ao poder "das mais variadas formas". Uma delas, segundo ele, é enganando a população. A segunda opção envolveria uma fraude:

— E também, de outra forma, é você aparelhando instituições. Quem é que colocou o Lula na rua? Foi o (Edson) Fachin (ministro do STF). É apenas uma dica do que está acontecendo.

O presidente também citou o ofício enviado pelo ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, ao STF na última semana, no qual ele diz que "não interessa concluir o pleito sob a sombra da desconfiança", e compartilhou da afirmação. Em seguida, mencionou uma frase de Ciro Gomes (PDT) sobre o país "acordar em guerra" se Lula for eleito.

— Eu não vou interpretar as palavras do Ciro. Se ele (Lula) ganhar no voto, lamentavelmente não tem muito o que fazer. Agora, se ganhar na suspeição, na dúvida, aí complica — disse.

O presidente sugeriu em sua fala que ministros indicados por Lula e Dilma Rousseff ao Supremo estariam agindo para levar de volta o petista ao poder. Seus comentários se voltaram principalmente a Edson Fachin, hoje presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos