Em Foz, suspeito de chefiar organização criminosa é expulso do Paraguai e entregue à PF

Suspeito entregue à polícia brasileira e é um dos maiores contrabandistas de cigarros do Brasil. Foto: Reprodução/G1

RESUMO DA NOTÍCIA

  • PF recebeu na noite de sexta (24) das autoridades paraguaias, em Foz, o suspeito de chefiar uma organização criminosa que seria um dos maiores contrabandistas de cigarros do Brasil.

  • O suspeito havia sido condenado a 36 anos de prisão pela Justiça Federal de Guaíra (PR) em razão da Operação Láparos de 2011, que teve como foco o contrabando na área de fronteira do Paraná.

A Polícia Federal (PF) recebeu na noite de sexta (24) das autoridades paraguaias, em Foz do Iguaçu, oeste do Paraná, o suspeito de chefiar uma organização criminosa que, segundo as investigações, é um dos maiores contrabandistas de cigarros do Brasil.

O suspeito havia sido condenado a 36 anos de prisão pela Justiça Federal de Guaíra, no oeste do Paraná, de acordo com a polícia, em razão da Operação Láparos de 2011, que teve como foco o contrabando na área de fronteira do Paraná.

Leia também

A PF informou ainda que o suspeito foi preso em março de 2019, em Assunção, no Paraguai, quando chegava ao Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi. Na ocasião, a prisão contou com o apoio da Interpol e da Direção Geral de Migração do aeroporto, de acordo com a polícia.

Ainda conforme a PF, o suspeito também foi alvo principal da Operação Contorno Norte, deflagrada em Maringá, no norte do Paraná, em junho de 2019. Na ocasião, o suspeito teve a prisão preventiva decretada, mas a ação penal ainda não teve sentença.

A PF informou que o suspeito também esteve envolvido em outras operações da Polícia Federal.