Em grupos, bolsonaristas celebram ataque na Esplanada e culpam esquerda

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 08.01.2023 - Homem quebra janela do Palácio do Planalto, em Brasília, durante ato golpista. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 08.01.2023 - Homem quebra janela do Palácio do Planalto, em Brasília, durante ato golpista. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mesmo após as prisões em massa de golpistas que participaram da invasão da Esplanada dos Ministérios e da desocupação do acampamento em frente ao quartel-general do Exército, apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) seguem incitando atos pelo WhatsApp.

Nesta segunda-feira (9), também começou a circular uma versão de que a violência seria produto de esquerdistas infiltrados entre os manifestantes.

Um participante escreveu que a violência foi causada por "policiais ligados ao PT, quebrando o Congresso para colocar culpa nos bolsonaristas". A versão fantasiosa já foi disseminada em episódios anteriores de quebra-quebra.

Outro bolsonarista respondeu que "somente um milagre para provarmos que não foram os patriotas os responsáveis pelos ataques".

Apesar da indignação com o que veem como repressão das autoridades, o tom dos manifestantes é de autocongratulação com a invasão dos prédios que sediam os Três Poderes.

"Patriotas, parabéns, meus heróis. Ontem, 8/01/23, vai entrar para a história. Foi um dia inesquecível", escreveu um apoiador do ex-presidente Bolsonaro na manhã desta segunda (9).

Outro pediu que haja uma escalada nos atos. "Talvez a solução seja sairmos todos nas ruas, eles jamais irão prender milhões de pessoas".