Em live, Anitta desabafa: 'Usaram meu sumiço para fazer política'

Anitta fez uma live neste domingo (30) falando sobre o segundo turno das eleições: "Desejo que o Brasil se una, independentemente do resultado. Gostaria muito de quem eu votei ganhasse, mas o Brasil precisa de amor, respirar, se acalmar", falou ela, sem revelar em quem foi seu voto.

"Eu não tenho olhado muito as redes sociais já tem pouco mais de um mês, e muita gente vinha especulando, vi o quanto de coisa falaram, que eu tava em depressão. Gente, eu estou feliz, plena, estou bem. Vim principalmente porque utilizaram meu sumiço e esse momento em que estou mais comigo mesma pra fazer política", desabafou.

"Eu não mudei minha intenção de voto, eu continuo achando e concordando e pensando que meu voto precisa ser o mesmo que eu já tinha feito no primeiro turno, falando, das minhas intenções. Acredito que o amor precisa vencer", explicou. Na época da campanha do primeiro turno das eleições presidenciais, Anitta fez campanha para o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

"Se a gente prega tanto que, ah, porque Deus, porque a família, a união... o Brasil somos todos nós, somos mais de 200 milhões de pessoas. Se ele tá acima das coisas, as pessoas precisam ser importantes, não só as que pensam igual a você", continuou.

Anitta ainda disse que falava em nome de Larissa - seu nome de batismo - à quem gostava dela e acompanhava seu trabalho. "Quem fala aqui é Larissa, que fez esse personagem que vocês amam. Estou falando pra quem gosta de mim, acompanha meu trabalho, quem vota em mim pra eu conquistar as coisas e ganhar meus prêmios".

E ela continuou: "Vim como eu mesma dizer que fica essa reflexão pra gente aprender a parar de ter medo, a parar de escutar o que pesquisa diz, o que fulano diz, beltrano, vamos pensar a gente. Se a sociedade está unida, não importa quem vença uma eleição", falou.

Ela explicou porque esteve um tempo fora da internet: "Naquele momento, quis abraçar minha família. Lembrei do último momento que estive com eles e só tinha briga política. Nossos momentos se limitaram a discussões, ofensas e gritarias. E aí eu parei pra pensar: 'Nossa, é isso que o país está virando'", constatou. "Isso é muito triste, porque a gente só perde".

Sua intenção, garante, é 'quebrar muros'. "Eu estou quebrando muros, não quero que existam muros. O Brasil precisa de união. Se infelizmente em quem eu votei não ganhar (as eleições), espero que a gente consiga ser feliz".