Em live, Bolsonaro fala sobre Amapá, eleições municipais, mas não de Biden

·2 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro em evento recente em Brasília
Presidente Jair Bolsonaro em evento recente em Brasília

SÃO PAULO (Reuters) - Em uma transmissão ao vivo pelo Facebook, o presidente Jair Bolsonaro falou neste sábado sobre os problemas de energia que ainda afetam o Amapá, eleições municipais e vários outros temas, mas não comentou sobre a anunciada vitória de Joe Biden para a Presidência dos Estados Unidos, conforme projeções divulgadas durante o dia.

Vários líderes mundiais já felicitaram o candidato democrata pela projetada vitória contra o republicano Donald Trump, um governante que tem o apoio do presidente brasileiro. Bolsonaro não mencionou o tema.

Trump, contudo, disse que vai recorrer aos tribunais e disse que a eleição nos EUA "está longe" de acabar.

Durante cerca de meia hora na "live", Bolsonaro disse que o Brasil precisa de prefeitos afinados com suas ideias, e indicou que sua atuação política nas eleições municipais "não quer dizer" que ele será candidato à reeleição.

"Não sei se vou ser candidato à reeleição, está muito longe ainda, 22 (2022, ano da eleição). E resolvi não participar ativamente das eleições municipais porque eu tenho o Brasil para administrar, imagina se tivesse de andar pelo Brasil, fazer comício e reuniões, atrapalharia muito o meu trabalho aqui", afirmou.

Contudo, Bolsonaro anunciou que falará todos os dias, às 19h, sobre eleições municipais, em rede social, e reiterou o apoio a candidatos como Marcelo Crivella (Republicanos), no Rio de Janeiro, e Celso Russomano (Republicanos), em São Paulo.

Ele disse ainda que, se houver uma segunda onda da pandemia de Covid-19, os prefeitos "vão ser importantíssimos" para convencer governadores a não realizarem "lockdowns", que segundo o presidente prejudicam a economia e geram desemprego.

AMAPÁ

Bolsonaro afirmou ainda que após trabalhos para restabelecer a energia no Estado do Norte, 63% da carga do Amapá havia sido restaurada neste sábado, após a população de várias cidades sofrer o efeito de um blecaute iniciado na última terça-feira, com um incêndio em transformador de uma substação.

Ele reiterou informação do Ministério de Minas e Energia, de que o fornecimento de energia só estará normalizado em dez dias no Estado e criticou, sem citar nomes, as empresas responsáveis pela manutenção dos equipamentos.

"Acho que falhou a manutenção...", disse, acrescentando que, emergencialmente, geradores de energia foram instalados em serviços essenciais, como hospitais e delegacias, com a ajuda das Forças Armadas.

(Por Roberto Samora)