Em live, Ingrid Guimarães revela ter sofrido com pressão estética no início da carreira

Extra
·2 minuto de leitura
Ingrid Guimarães sofreu com pressão estética no início da carreira

84524077.jpg

Ingrid Guimarães sofreu com pressão estética no início da carreira

A estética é um elemento que serve de obstáculo na vida de muitas mulheres, sobretudo no âmbito profissional. Numa live com a produtora de elenco Marcela Altberg, Ingrid Guimarães relembrou as dificuldades que passou no começo da carreira ao não se encaixar no padrão de beleza que o mercado artístico demandava na época.

Ingrid e Marcela, que são amigas desde os 12 anos, chegaram a começar a carreira artística juntas. Ao revisitar o passado, a atriz disparou que a produtora de elenco "era a mais bonita", e sempre conseguia os trabalhos com mais facilidade.

— A Marcela sempre foi muito bonita. Ela era a menina mais linda da escola, e eu sou uma pessoa muito evoluída de grudar na mais bonita da escola — brincou a atriz. — E ela passava em tudo, então ela tinha muitos melhores papéis que eu. Ela passava nas novelas, nos comerciais, nas peças, sempre teve papel de destaque.

Hoje renomada por seus trabalhos na televisão, teatro e cinema, Ingrid afirma que "venceu pela insistência", e avalia que o mercado melhorou no quesito inclusão à diversidade de tipos físicos, uma questão que, na época em que era jovem, impôs a ela barreiras para conseguir chegar onde está.

— Eu não tinha o tipo físico da época. Hoje está muito melhor, com essa história da inclusão de negros, gordas, de todos os tipos físicos. É quase chato você não ter uma variedade de tipos numa série ou num filme, né? Quem está chegando hoje encontra um mercado melhor. A originalidade hoje conta, o tipo físico diferenciado hoje conta. Na minha época, era quando as modelos faziam as novelas — disse a atriz.

A atriz ainda expôs aos espectadores da live um episódio na época em que estudava teatro na escola do também ator e diretor Wolf Maya. Uma das atividades propostas pelo curso era a análise da simetria do rosto dos alunos:

— Eu me sentia um Picasso. Eu não tenho nenhum tipo de coisa que combina com outra coisa. Hoje, eu olho e falo: "Dane-se a simetria". Isso é zero importante. Eu vejo como eu perdi tempo na minha carreira achando que isso era importante. E isso não é importante — advertiu.