Em lockdown, Araraquara não registra mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

Anita Efraim
·3 minuto de leitura
Brazil's new Social Communications Minister Edinho Silva reacts during his inauguration ceremony at Planalto Palace in Brasilia March 31, 2015. REUTERS/Ueslei Marcelino
Edinho Silva, prefeito de Araraquara, decretou lockdown na cidade e percebe efeitos positivos (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
  • Araraquara não registrou mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas

  • Cidade vive lockdown rigoroso

  • Vice-governador Rodrigo Garcia parabenizou o prefeito da cidade, Edinho Silva

A cidade de Araraquara, no interior de São Paulo, não registrou nenhuma morte por covid-19 nas últimas 24 horas. O município vive um lockdown, ou seja, um confinamento rigoroso. O anúncio foi feito pelo prefeito da cidade, Edinho Silva (PT), durante a coletiva de imprensa do governo do estado.

"Araraquara fez aquilo que a ciência fez que se deve fazer. E quero aqui, de forma muito emotiva dizer: depois de um longo período, Araraquara não registrou nenhum óbito. Nenhum óbito a cidade teve nesse dia", anunciou Edinho Silva.

Leia também:

Segundo o prefeito, os efeitos das restrições de mobilidade também são percebidas na positividade dos testes. "Depois de ter um índice de contaminação de 53% das amostras remetidas aos laboratórios, ontem nós tivemos 7% de positivação."

Edinho Silva agradeceu o apoio do governo do estado de São Paulo e afirmou que a gestão de João Doria é "republicana", por isso, ele, do PT, podia estar na coletiva.

O vice-governador, Rodrigo Garcia, parabenizou Edinho pelas medidas que tomou para conter a pandemia do coronavírus.

Efeitos do lockdown

No dia 18 de março, Edinho Silva há havia digo à TV Globo que a cidade percebia efeitos positivos das restrições de mobilidade. Na ocasião, o prefeito relatou que a cidade já somava 10 dias sem pacientes com covid-19 à espera de internação.

De acordo com o prefeito, os efeitos da medida restritiva adotada em fevereiro foram positivos no sentido de frear o avanço da transmissão do novo coronavírus.

Fase emergencial

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, anunciou que a fase emergencial será prorrogada em todo o estado. A medida começou no dia 15 e, inicialmente, iria até dia 30. Agora, a fase mais rigorosa do Plano SP vale até 11 de abril.

Garcia pediu para que a população do estado não use o feriado para viajar, mas para ficar em casa. "Queremos reforçar que, durante os feriados, as blitz continuarão", afirmou o vice-governador. O governo estadual vai apoiar cidades litorâneas e ajudar com barreiras sanitárias.

Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contigência, ainda incentivou os paulistas a denunciarem aglomerações que forem identificadas no estado. "Esse período de quarentena não é férias, nós ainda estamos em um momento dramático, com um número de perda de vidas cada dia maior. Vamos continuar assistindo esse cenário, de forma que é preciso que todos fiquem em casa e não se aglomerem para proteger seus familiares."

A decisão é anunciada no mesmo dia em que São Paulo bateu um recorde de mortes pela covid-19: 1.193 óbitos em decorrência do coronavírus foram registrados nas últimas 24 horas.

A média móvel agora é de 557 mortes diárias. O estado de São Paulo está há 25 dias com tendência de alta nas mortes.

Os novos registros não significam, necessariamente, que as mortes aconteceram de um dia para o outro, mas que foram computadas no sistema neste período.

O que pode e o que não pode na fase emergencial

  • Cultos religiosos suspensos

  • Restaurantes não podem mais oferecer retirada de comida

  • Drive-thrus e serviços de delivery de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais poderão funcionar 24 horas por dia