Em manifestação, imigrantes fecham ponte entre Brasil e Peru no Acre

JAIRO BARBOSA
·2 minuto de leitura

RIO BRANCO, AC (FOLHAPRESS) - Um grupo de aproximadamente trezentos imigrantes, a maioria haitianos, fechou na manhã deste domingo (14) a ponte da Integração, que liga o Brasil ao Peru, na cidade de Assis Brasil (310 km de Rio Branco). Os estrangeiros exigem que as autoridades peruanas liberem a entrada deles no país para seguirem viagem até seus países de origem. Senegaleses e indianos também estão entre os estrangeiros. O grupo está há mais de trinta dias em abrigos cedidos pela prefeitura aguardando autorização para sair do Brasil. O delegado da Polícia Federal na região, Antônio Carlota, disse que a manifestação aconteceu porque circulou uma informação falsa de que hoje o Peru iria liberar a entrada dos estrangeiros no país. "Circulou uma notícia que eles poderiam cruzar a ponte hoje [domingo]. Eles foram pra lá e como não puderam passar, fecharam a ponte e estão exigindo que o trecho seja liberado", diz Carlota. A polícia peruana colocou homens armados na cabeceira da ponte para intimidar os imigrantes, o que gerou um clima de tensão. Ainda segundo Carlota, a PF enviou mais agentes para reforçar a segurança na faixa de fronteira e estuda deslocar o Grupo de Pronta Intervenção, um grupamento tático especializado em atuar nesse tipo de situação. O delegado falou que o temor é que o grupo force a entrada para Inãpari, primeira cidade do lado peruano, o que poderá gerar um conflito no local. O prefeito de Assis Brasil, Jerry Correa (PT), pediu socorro aos governos do Acre e federal para obter recursos para seguir ofertando abrigo e alimentação aos imigrantes. Eles ocupam atualmente dois abrigos públicos e duas casas alugadas por conta própria na cidade. Neste sábado (12), o governo do Acre distribuiu cestas básicas nos abrigos e realizou uma operação na faixa de fronteira para coibir a atuação de coiotes. Segundo o delegado Rêmulo Diniz, do Grupo Especial de Fronteira (GEFRON), da Secretaria de Segurança Pública do Acre, quarenta imigrantes que se preparavam para cruzar fronteira com apoio dos coiotes foram localizados. Os coitos cobram R$ 50 para atravessar cada pessoa. Quatro homens, sendo dois brasileiros e dois peruanos, foram detidos por suspeita de atuarem como atravessadores de imigrantes.