Bolsonaro diz que 'nova CPMF' está fora da reforma tributária por sua determinação

Grasielle Castro
“A recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do presidente”, disse Bolsonaro.

Depois da repercussão negativa sobre a possibilidade de recriação da CPMF, o presidente Jair Bolsonaro voltou a negar a hipótese de aumento de imposto. No Twitter, Bolsonaro afirmou que determinou que a “recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária”.

No Twitter, o presidente disse ainda que a demissão de Marcos Cintra do cargo de secretário especial da Receita Federal ocorreu por divergência no projeto tributário com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo o mandatário, a exoneração foi “a pedido” de Cintra.

Além do histórico de defesa da criação de um novo imposto aos moldes da CPMF, o economista conta com a antipatia do presidente pela suspeita de que auditores da Receita teriam acessado irregularmente dados de autoridades.

Em outros momentos, Cintra já havia sido criticado por Bolsonaro tanto por sua conduta à frente da Receita quanto por sua defesa do novo tributo. Nesta semana, no entanto, o ministro Paulo Guedes também defendeu o imposto.

Ao jornal Valor Econômico, Guedes disse que “o Imposto sobre Transações Financeiras (ITF) [nome para a nova CPMF] é feio, é chato, mas arrecadou bem e por isso durou 13 anos”.

O ministro, no entanto, não havia detalhado o que estava em estudo no governo. Na terça-feira (10), o secretário-adjunto da Receita, Marcelo Silva, afirmou que o governo planejava alíquota de até 0,4% para transações financeiras.

A informação gerou reações contundentes no Congresso Nacional, onde a proposta tramitaria no texto da reforma tributária. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que, pelo que ouviu...

Continue a ler no HuffPost