Em meio a críticas, diretor de "Travessia" defende "ter o pior e o melhor" em novela

Humberto Martins e Jade Picon em
Humberto Martins e Jade Picon em "Travessia". Foto: Globo/João Miguel Júnior

Resumo da notícia:

  • Mauro Mendonça Filho acredita que novela deve ter o melhor e pior do audiovisual

  • Diretor de "Travessia" analisa trama de Gloria Perez como "old school"

  • Ele ainda aconselhou Jade Picon sobre primeiro trabalho como atriz

Ao assumir a direção artística de "Travessia" em parceria com o roteiro de Gloria Perez, Mauro Mendonça Filho defende a identidade "old school" (à moda antiga) da novela. Com uma trama que tem dividido opiniões do público, o diretor revelou não se preocupar com a resistência dos espectadores com escolhas da produção.

"Eu não critico novela. Nem um pouquinho. As pessoas amam. E ela tem que ter o pior e o melhor, tem que ser abrangente, o Brasil é muito complexo. Ela tem que ter o pior e o melhor do audiovisual", afirmou em entrevista à Patricia Kogut, colunista d'O Globo.

"Tem que ter umas coisas muito melodramáticas e outras em que você fala 'uau'. Não me preocupo nem um pouquinho [com a resistência de parte do público a respeito de uma ou de outra]. O melodrama está enraizado [na novela] mesmo. Mas, na hora de fazer série, o buraco é mais embaixo", completou.

Em meio a uma grande repercussão da estreia de Jade Picon, marcada por questionamentos sobre a escalação da ex-BBB, Mauro contou como aconselhou a jovem antes da novela ir ao ar na Globo.

"Na verdade, para ser sincero, não estamos dando essa importância toda. Trabalhamos seriamente, ela também, todo mundo. Foi o que eu falei para ela antes: 'Se o seu trabalho não agradar, é supernormal. Trabalha para continuar e agradar. Isso é da profissão de atriz'", relatou.

Questionado sobre migrar o perfil de personagens para as redes sociais, o diretor não descarta a possibilidade embora não enxergue isso sendo feito. "É uma novela 'old school' mesmo. E por isso eu acho complicado o personagem atravessar [a tela]. Pode trazer uma perda de credibilidade, seja de um lado ou de outro. Essa é minha opinião. E a Gloria tem a mesma", afirmou.

"As oportunidades comerciais de novelas existem e existirão. Pode ser, sim, que haja um Instagram de personagem, rede social... Mas não foi nada definido", concluiu.