Em meio a facilitação da importação de armas, Bolsonaro reduz verba para Imbel

Pedro Capetti
·1 minuto de leitura
Divulgação

RIO - Em meio a cruzada de decretos e portarias para flexibilizar armamentos para população, assim como para facilitar a entrada de empresas e produtos estrangeiros, a gestão Jair Bolsonaro (sem partido) tem investido menos na empresa estatal que produz armamentos que seus antecessores.

Dados do Portal Siga Brasil, do Senado, indicam que os volumes de recursos pagos para a Imbel (Indústria de Material Bélico do Brasil) nos dois primeiros anos deste governo foram os menores desde, pelo menos, 2010. No ano passado, R$213 milhões foram repassados para a estatal, considerando os restos a pagar. Em 2019, essa quantia foi de R$ 231 milhões.

Trata-se de recurso inferior ao destinado com Temer, Dilma e Lula, corrigido pela inflação do período. Em 2010, o repasse foi de R$ 323 milhões, enquanto em 2018, no último ano de gestão do emedebista, a quantia chegou a R$ 248 milhões.

(Confira a íntegra da reportagem exclusiva para assinantes)