Roberta Sá é apontada como pivô da separação de casamento de filho de Gilberto Gil

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A cantora Mãeana, ex-nora de Gilberto Gil, publicou um longo desabafo nesta segunda-feira, dia 30, sobre traições que sofreu do marido, Bem Gil. Em determinado trecho do texto, a artista chega a citar uma irritação com o silêncio do ex-sogro sobre a relação, que estaria "cedendo a uma paz blindada'' com uma outra artista, a quem chamou de "Roberta saco", e que logo foi associada à sambista Roberta Sá, por outras dicas dadas.

"Fica uma raiva de ver a facilidade que um macho tem para cometer as maiores crueldades, fica a indignação de não ver ninguém se colocando, de ver tanta passada de pano em torno da podridão. A sincerona aqui é louca e deve ser aniquilada. (...) Fica também, não posso deixar de dizer, uma grandessíssima decepção com o grande patriarca, poeta tão profundo que parece ceder ao descaso com os sentimentos de quem está perto, ceder à uma paz blindada, ceder por exemplo (!) aos encantos superficiais de uma Roberta saco do canto desalmado que só fica simpática quando toma um vinho caro", escreveu Mãeana no Instagram.

A postagem da cantora foi apagada das redes sociais, como ela disse que faria. Roberta Sá não se pronunciou sobre os ataques, mas decidiu mostrar que a vida profissional continua. Na publicação mais recente, na tarde desta segunda-feira, a cantora apareceu ensaiando a música "Só danço samba", de Tom Jobim.

"Só danço samba, só danço samba, vai, vai, vai, vai...", cantou Roberta, enquanto filmava os colegas de banda.

Ana Claudia Lomelino, a Mãeana, foi casada por 11 anos com Bem Gil e juntos tiveram os filhos Dom e Sereno. O músico é pai ainda de Bento, que ele teve com a cantora Bárbara Ohana.

"Um brinde aos casais que conseguem se separar em paz. Impossível depois destes 11 anos de relacionamento não sentir horror de cada covardia que sofri e aceitei em nome de algo maior (o amor à arte, o sonho da família encantada e o trauma da separação de meus pais) essas covardias passam diante dos meus olhos cada vez que me lembro que o 'algo maior' não resistiu, não foi suficiente. Essa foto foi em mais uma época em que eu estava sendo enganada e todos sabiam, menos eu. Perdoem-no, a vida não é fácil, mas se eu contar vocês vão perguntar: como você aguentou? Foram facadas pelas costas, dos piores jeitos, nos piores momentos. Eu não sou do tipo que se prepara para facadas, estou sempre acreditando nas pessoas, no carisma da minha sinceridade, nas amizades que faço, nas minhas demonstrações de vulnerabilidade, as quais considero de grade força e poder, sempre sempre acreditando: agora as coisas vão mudar, agora vão me entender me perdoar, agora vão em acolher do jeito que sou! E dentro do abraço dissimulado mais uma faca afiada", diz trecho do texto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos