Em menos de 48h, quatro policiais são vítimas de atentado no litoral de SP

·2 min de leitura
À esquerda, o fuzil utilizado pelos suspeitos para disparar com os PMs em Guarujá. À direita, Ronaldo Soares dos Santos, que foi executado a tiros em Praia Grande (SP). (Foto: Polícia Militar/Divulgação e Reprodução/Redes sociais)
À esquerda, o fuzil utilizado pelos suspeitos para disparar com os PMs em Guarujá. À direita, Ronaldo Soares dos Santos, que foi executado a tiros em Praia Grande (SP). (Foto: Polícia Militar/Divulgação e Reprodução/Redes sociais)

Quatro agentes de forças de segurança foram alvos de ataques a tiros em menos de 48 horas, todos na região da Baixada Santista, no litoral de São Paulo. 

Dois deles foram mortos a tiros e outros dois sofreram tentativa de homicídio, registrados entre sábado (25) e domingo (26), nas cidades de São Vicente, Praia Grande, Guarujá e Peruíbe. Entre as vítimas estão dois agentes penitenciários e dois PMs.

Os crimes estão sob investigação da Polícia Civil que tenta identificar e prender os suspeitos. A motivação também é investigada pelas autoridades. A polícia afirma que ainda não é possível dizer que os crimes tenham ligação.

O primeiro crime ocorreu no sábado (25), quando um agente penitenciário de 44 anos foi atingido por cinco disparos de arma de fogo. Ele estava chegando do Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente, onde trabalha, quando foi alvejado. 

Leia também

A vítima foi submetida à intubação e encaminhado para tomografia, e está em estado grave na unidade.

Também no sábado (25), o agente penitenciário Ronaldo Soares dos Santos, de 49 anos, foi executado ao atender a campainha de sua residência em Praia Grande. 

Além dele, um policial militar de 40 anos foi vítima de uma tentativa de homicídio na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, em Peruíbe. Ronaldo foi socorrido, mas não resistiu. Já o policial militar não ficou ferido.

Já na madrugada deste domingo (26), um ex-policial militar, de 33 anos, foi executado com tiros de fuzil, na Vila Áurea, em Guarujá. 

A suspeita é de que os disparos tenham sido feitos de dentro de um carro com quatro homens, quando o ex-PM caminhava pela via com outro homem, que também foi acertado pelos disparos, mas conseguiu sobreviver. 

Ninguém foi preso, segundo informação da Polícia Civil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos