Em menos de dois meses, garota de 14 anos cria NFTs de baleias beluga, arrecada US$ 1 milhão e doa 20% para ONGs

·2 min de leitura

RIO — Em menos de dois meses, uma americana de 14 anos identificada como Abgail recebeu US$ 1 milhão (aproximadamente R$ 5,6 milhões) pela venda de quase 8 mil tokens não fungíveis (NFTs) que ela criou com a ajuda do irmão mais velho, um comerciante de 25 anos chamado Adam.

Segundo o portal "Business Insider", foi em setembro quando eles começaram a colocar em prática o projeto de arte Belugies, por meio do qual a garota montou uma coleção de 8 mil desenhos únicos da baleia beluga usando um smartphone num primeiro momento e, depois, um tablet. A ideia fez sucesso e, no dia 16 de outubro, foi realizada a venda milionária. Os NFTs se esgotaram num período de apenas 10 horas.

A dupla então disse que planejou destinar 10% do valor à Sunshine Kids, uma instituição sem fins lucrativos que ajuda crianças com câncer e possui escritórios no Texas, na Califórnia e na Flórida, além de outros 10% para ONGs de proteção às baleias.

"Eu amo como fomos capazes de doar US$ 200 mil para diferentes organizações", disse Abigail ao "Bussiness Insider".

Para montar cada unidade de um Belugie, Abigail criou diferentes fundos, rostos, chapéus, acessórios, entre outras características, que foram juntadas por camadas num arquivo PNG. Ela usou o sofware Node.js para randomizar 167 atributos, de forma que cada um dos 7.980 desenhos fosse único.

A venda dos NFTs foi efetuada, conforme os irmãos contaram, através do mercado Alpha Art, que usa a criptomoeda Solana. Ao ser disponibilizada, a coleção de Abigail custava 0,8 SOL, o que equivale a US$ 160, ou R$ 895, mas, 10 horas depois, quando os desenhos se esgotaram, o valor alcançou US$ 1.021.000.

"Escolhemos a Solana porque é mais ecológica e muitas pessoas podem usá-la ao mesmo tempo", explicou Abigail, que escolheu por desenhar a baleia beluga por ser um animal que ela e o irmão amam desde que viram uma no aquário do estado da Geórgia.

Pesou na escolha da adolescente uma criptomoeda que fosse "mais ecológica" porque, conforme apontou uma estimativa de pesquisadores divulgada pelo "New York Times", a criação de um NFT tem, em média, uma pegada ambiental superior a 200 quilos de carbono. Para se ter ideia do impacto ambiental disso, o valor é equivalente a dirigir 800 quilômetros com um carro movido a gasolina.

Quanto aos NFTs em si, eles são ativos digitais ou reais, podendo ser representados como arte, memes, artefatos de jogos, entre outros. Por existirem no blockchain, sua comercialização é feita usando criptomoedas. Além da venda primária, outra forma de arrecadar dinheiro ocorre por meio dos royalties que o criador de um NFT pode receber para cada transação secundária. No caso de Abigail e Adam, eles receberam cerca de US$ 72 mil só de royalties no dia 26 de outubro, por exemplo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos