Em novo discurso contra medidas restritivas, Bolsonaro diz que 'brevemente voltaremos à normalidade'

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — Em um novo discurso contra medidas restritivas tomadas para diminuir o contágio da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que "pseudogovernadores" tentam "impor a ditadura" e que "está chegando a hora" disso terminar. Bolsonaro se opõe a medidas de distanciamento social desde o início da pandemia, que já matou 390 mil pessoas no Brasil.

Na sexta-feira, Bolsonaro afirmou que as Forças Armadas poderão ir às ruas para garantir a ordem no país caso as medidas restritivas promovam o que chamou de "caos".

— Está chegando a hora, pessoal. Está chegando a hora do Brasil dar um novo grito de independência, porque não podemos admitir alguns pseudogovernadores impor a ditadura no meio de vocês, usando do vírus para subjugá-los. Nós tratamos a questão do vírus com muita responsabilidade, mas sempre disse que além do vírus tínhamos que nos preocupar com a questão do desemprego — disse o presidente, durante inauguração de duplicação da BR-101 entre Feira de Santana (BA) e Divisa (SE).

Bolsonaro acusou governadores de "destruir empregos" e afirmou que "esse suplício está chegando ao fim" e que "brevemente voltaremos à normalidade":

— Não foi o governo federal que obrigou você a ficar em casa, não foi o governo federal que obrigou você a fechar o comércio, não foi o governo federal que destruiu milhões de empregos. Pode ter certeza, esse suplício está chegando ao fim. Brevemente voltaremos à normalidade, com o apoio de todos.