Em Pernambuco, 186 pacientes com síndrome respiratória grave aguardam vaga de UTI

JOÃO VALADARES

RECIFE, PE (FOLHAPRESS) - Informações da central de regulação de leitos de Pernambuco apontam que, nesta quarta-feira (29), há 186 pacientes em estado grave aguardando por uma vaga de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no estado.

A Folha de S.Paulo teve acesso ao painel de monitoramento de vagas, ferramenta utilizada pela SES-PE (Secretaria Estadual de Saúde) para fazer o controle de encaminhamento dos doentes que lotam UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e emergências de hospitais públicos com suspeita de terem contraído o novo coronavírus.

Às 9h18 desta quarta-feira (29), havia uma fila com 184 solicitações de UTI para adultos e duas para crianças. Outras 116 pessoas aguardavam encaminhamento para leitos de enfermaria.

Na terça-feira (28), a SES-PE (Secretaria de Saúde de Pernambuco) informou que a taxa de ocupação de UTI era de 97% de um total de 364 leitos.

Boletim divulgado nesta quarta-feira pela SES-PE aponta 30 novos óbitos em Pernambuco e mais 470 casos do novo coronavírus. Agora, o estado totaliza 538 mortes e 6.194 testes positivos para o novo coronavírus.

Um médico que atua na rede pública estadual e não quis se identificar disse à reportagem que o sistema já está em colapso.

Segundo ele, quando o governo fala em 97% de ocupação, refere-se às vagas de UTI que estão com paciente no momento, e que entre a vaga ficar livre e um paciente ocupá-la há um "delay". Ele diz ainda que, como os pacientes ficam nas UPAs, policlínicas e em outros hospitais, há um tempo entre liberação da vaga e o paciente ser transferido da unidade para o leito de UTI.

O médico afirma que, antes da pandemia, o serviço que faz transporte dos pacientes para UTI demorava em média 12 horas pra ir pegar o paciente e leva-lo até o leito disponível, e que hoje, o tempo para esse transporte ser realizado varia entre 24 horas e 36 horas. A SES-PE informa que o tempo médio para efetivação da transferência a partir da solicitação da vaga é de 24 horas.

Durante as coletivas realizadas pelo governo estadual diariamente, o número de pessoas que aguardam por uma fila na UTI não é divulgado. O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, tem evitado a palavra "colapso" por entender que a abertura de vagas no sistema está ocorrendo diariamente.

Em um das coletivas, ao comentar a importância do distanciamento social, ele afirmou que Pernambuco está sendo ultrapassado pela doença.

Em nota, o governo estadual informou que a dinâmica de disponibilização de vagas pela central de regulação de leitos para internamento de casos de Covid-19 é extremamente dinâmica.

"Todo dia entram dezenas de pacientes e outras dezenas saem transferidos para hospitais de referência".

Sobre a fila de espera por leitos de UTI, o governo destaca que houve um aumento de 316% na demanda por internações por suspeita de Covid-19.

De acordo com o governo estadual, os pacientes que estão aguardando, momentaneamente, a transferência para centros de referência do novo coronavírus são assistidos em unidades de saúde que geralmente contam com estrutura de salas de estabilização com pontos de oxigênio e respiradores.

Até o momento, conforme informações da SES-PE, foram criadas 750 vagas exclusivas para pacientes com a doença na rede pública estadual.

A priorização das transferências, segundo o governo de Pernambuco, é realizada a partir da discussão técnica entre o médico solicitante e o médico regulador, levando em consideração a gravidade do caso e a estrutura disponível nas unidades de saúde onde cada paciente se encontra.

"Ainda no mês de janeiro, a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco orientou todos os serviços de saúde a estabelecerem planos e fluxos para recebimento e estabilização de pacientes com suspeita de Covid-19", diz a nota.

A central de regulação de leitos de Pernambuco teve a capacidade duplicada nesta semana com mudança de endereço e contratação de 141 novos profissionais.

Em relação à divulgação de informações epidemiológicas sobre a Covid-19 em Pernambuco, o estado destaca que lidera, por quatro semanas consecutivas, o ranking de transparência, estudo realizado semanalmente pela organização não-governamental Open Knowledge Internacional.

"Além disso, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) divulga, diariamente, boletins epidemiológicos detalhados, inclusive com a divulgação dos dados sobre a ocupação dos leitos."