Em pesquisa encomendada por advogados, 63% dos entrevistados dizem que Flordelis é culpada pela morte do marido

Os advogados de Flordelis dos Santos de Souza contrataram uma pesquisa com moradores da cidade de Niterói, na Região Metropolitana do Rio , questionando se os entrevistados acham que a ex-deputada tem envolvimento na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo. Segundo dados da defesa, dos 439 participantes, 225 (63%) disseram acreditar que a pastora é culpada. Outros 130 (36,4%) disseram que preferem aguardar o julgamento e dois (0,6%), acreditam que Flordelis é inocente.

A pesquisa foi usada pela defesa como um dos argumentos do pedido feito ao Tribunal de Justiça do Rio, na tarde desta terça-feira, para o julgamento da pastora ser transferido de Niterói para o Rio de Janeiro.

Os advogados alegam que na cidade de Niterói a ex-parlamentar não terá um julgamento justo. O júri de Flordelis, que estava marcado para acontecer no dia 9 deste mês, foi transferido para o dia 6 de junho deste ano. Na mesma sessão, também serão julgados três filhos e uma neta

“Assim, considerando que 63% da população de Niterói possui uma firme convicção em condená-la, não há, nessa comarca, possibilidade de que a requerente tenha um julgamento justo e disposto a analisar as provas e argumentos defensivos.

Tal pré-disposição, estatisticamente comprovada, viola o direito da acusada em ser julgada de maneira imparcial, desrespeitando diretamente direitos e garantias constitucionais11 e convencionais”, escreveram os advogados na petição.

No pedido de mudança do local do julgamento, os advogados alegam ainda que a a juíza do processo, Nearis dos Santos Carvalho Arce, conversou sobre o caso de Flordelis com os jurados que vão atuar na 3o Tribunal do Júri de Niterói nos próximos meses. Isso teria ocorrido durante uma reunião no último dia 25. Para a defesa, isso pode afetar a imparcialidade dos jurados, que são quem decide se os acusados são culpados ou inocentes em processos no Tribunal do Júri.

Os advogados convocaram uma entrevista para a imprensa, na manhã desta terça-feira, para informar sobre o pedido de mudança no local do júri e denunciar a conversa que teria ocorrido entre Nearis e os jurados. Além dessa solicitação, foi feito um novo pedido de suspeição para afastar Nearis do processo. Outro pedido já foi feito no ano passado, e negado no Tribunal de Justiça do Rio. Esse primeiro pedido ainda será julgado pelo STJ. A defesa ainda fará uma representação contra Nearis no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

— Soubemos que nessa reunião ela comentou sobre o caso Flordelis para os potenciais jurados. Um dos advogados da nessa equipe foi até o fórum e foi impedido de entrar, impedido de acompanhar o que foi dito.Esse fator se reveste de maior gravidade vez que já estamos falando há algum tempo dessas possíveis e até esses fatos que denotam a suspeição da juíza . É de uma gravidade extremamente grande, eis que o juiz deve se manter imparcial sempre. A consequência grave que é os jurados podem se antecipar, discutir as informações entre si - explicou Faucz.

Procurado, o Tribunal de Justiça do Rio ainda não se posicionou sobre as alegações da defesa de Flordelis.

O pastor Anderson do Carmo foi morto a tiros na garagem da casa da família em Pendotiba, Niterói, na madrugada de 16 de junho de 2019. Dois filhos de Flordelis já foram condenados por envolvimento no crime.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos