Em plano de governo, Marçal promete levar Brasil ao 1º mundo até fim da década

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Rifado pelo Pros da disputa presidencial, o coach Pablo Marçal preparou um programa de governo que tem o mesmo mote já externado por Luiz Inácio Lula da Silva (PT): fazer 40 anos em 4. O slogan é inspirado no "50 anos em 5", do ex-presidente Juscelino Kubitschek (1956-61).

Marçal diz que segue candidato, apesar da decisão partidária de apoiar Lula, ocorrida após uma decisão judicial ter mudado o comando da legenda. A briga deve terminar na Justiça.

Entre as promessas do coach no documento de 108 páginas estão transformar o Brasil em um país de Primeiro Mundo até o final desta década, ou seja, daqui a oito anos.

O documento programático tem também termos e frases de efeito típicos do universo da autoajuda, área de atuação de Marçal.

Ele propõe uma doutrina que batizou de "governalismo", baseada na ideia de que "cada brasileiro é único e nasceu com a missão de governar a si próprio, sua família e sua esfera de influência".

O governalismo teria três eixos: virtualização, empresarização e mudança de mentalidade, reunidas na sigla VEM.

O candidato divide a população brasileira em 12 categorias, que recebem nomes como desistente, acomodado, iludido, abundante e transbordante. Para cada uma delas há propostas específicas.

Outras propostas incluem a criação de "empresídios", para que empresas atuem dentro de penitenciárias, e a renegociação de dívidas de 70 milhões de brasileiros que estão no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), repetindo promessa de Ciro Gomes (PDT).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos