Em primeiro discurso como presidenciável, Haddad diz ter recebido "missão" de Lula

Alta cúpula petista se reuniu em frente à carceragem da PF em Curitiba, onde Lula está preso (Cassiano Rosário/Futura Press)

Em ato realizado na tarde desta terça-feira (11) em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), o agora presidenciável do PT, Fernando Haddad, fez seu primeiro discurso oficial como candidato à Presidência do partido e disse ter recebido uma “missão”. O petista esteve reunido com outros líderes da sigla para a leitura da carta escrita pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pede ao eleitorado a transferência de votos. Preso desde abril, Lula teve a candidatura ao Planalto impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no mês passado.

Leia mais:
Executiva do PT aprova Haddad como novo candidato à Presidência

O ex-prefeito de São Paulo aproveitou a oportunidade para mencionar que Lula foi um “divisor de águas” na história do país e relembrou alguns momentos históricos da carreira do ex-presidente: “Nós vamos nos reerguer. Recebemos uma missão do presidente. Vamos olhar nos olhos do povo e dizer que a gente também sente a dor que você está sentindo. Só que não é hora de baixar a cabeça e voltar para casa. É hora de tomar as ruas e ganhar as eleições. Pelo presidente Lula.”

Na carta, lida em voz alta por um membro do partido antes que Haddad pudesse discursar, Lula enfatiza a carreira de seu sucessor como Ministro da Educação em seu governo, entre 2005 e 2012, quando deixou o cargo para disputar a prefeitura de São Paulo, e também introduz Manuela D’Ávila (PCdoB) como vice da chapa, ressaltando a aliança histórica entre os partidos.

“Fui incluído artificialmente na Lei da Ficha Limpa para ser arbitrariamente arrancado da disputa eleitoral, mas não deixarei que façam disto pretexto para aprisionar o futuro do Brasil”, escreveu o ex-presidente. “É diante dessas circunstâncias que tenho de tomar uma decisão, no prazo que foi imposto de forma arbitrária. Estou indicando ao PT e à Coligação “O Povo Feliz de Novo” a substituição da minha candidatura pela do companheiro Fernando Haddad, que até este momento desempenhou com extrema lealdade a posição de candidato a vice-presidente”, continua.

O texto insistiu na inocência do ex-presidente, condenado em segunda instância pelo caso do tríplex da Lava Jato e atualmente cumprindo pena na carceragem da PF em Curitiba, ponto escolhido pela militância para realizar a leitura da carta.

“Por isso, quero pedir, de coração, a todos que votariam em mim, que votem no companheiro Fernando Haddad para Presidente da República”, diz. “Nós já somos milhões de Lulas e, de hoje em diante, Fernando Haddad será Lula para milhões de brasileiros”.

O grupo presente no local aplaudiu e dedicou gritos de “boa noite, presidente Lula” em direção à carceragem da PF.

Estavam no ato em frente à fachada do edifício algumas das principais lideranças do partido: a presidente da sigla e senadora Gleisi Hoffmann, o senador Lindbergh Farias, o governador de Minas Gerais e candidato à reeleição Fernando Pimentel, a ex-presidente e atual candidata ao Senado por MG, Dilma Rousseff, além do próprio Haddad e de Manuela.