Em prisão domiciliar há dois meses, Dado Dolabella é monitorado por tornozeleira eletrônica

Carolina Heringer

O ator Dado Dolabella está há dois meses em prisão domiciliar, sendo monitorado pela Justiça do Rio por uma tornozeleira eletrônica. Ele colocou o aparelho no dia 19 de outubro, quando começou a cumprir a pena de dois meses e quinze dias de reclusão por ter xingado a ex-mulher, Viviane Sarahyba, e ainda por ter danificado seu carro durante uma discussão em dezembro de 2010.

Em prisão domiciliar, Dado é obrigada a permanecer em sua casa, na Zona Sul do Rio, das 22h às 6h, de segunda a sexta-feira. Ele só pode deixar a sua residência para trabalhar. Nos fins de semana e feriados, caso não seja dia de trabalho, o ator também não pode sair de casa. As condições foram estabelecidas pela juíza Ana Paula Abreu Filgueiras, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio, em julho deste ano. Na ocasião, a magistrada determinou que o ator se apresentasse no cartório da VEP para ser encaminhado ao local de instalação da tornozeleira. Dado demorou mais de três meses para comparecer à vara.

Procurada pelo EXTRA, a advogada de Dado, Giselle Senges, não esclareceu por que o seu cliente havia demorado a colocar o equipamento e nem se há previsão para ele tirar o equipamento, já que restam cerca duas semanas de pena a cumprir. Em agosto, a Defensoria Pública, que fazia a defesa do ator, chegou a pedir a prescrição da pena, o que foi negado pela Justiça.

Dado foi condenado em junho de 2014, mas foi beneficiado com a suspensão condicional da pena mediante o cumprimento de alguns requisitos impostos pelo 3º Juizado de Violência Doméstica e Familiar de Jacarepaguá. Ele deveria, por exemplo, comparecer mensalmente em juízo para informar e justificar suas atividades e teria que participar de grupos reflexivos para homens nas situações de violência doméstica e familiar contra a mulher. O ator teve o benefício revogado em fevereiro do ano passado, acusado pelo ministério Público estadual de descumprir as condições impostas pela Justiça. Além disso, Dado foi preso 15 dias antes da decisão de revogação por não pagar pensão alimentícia a um de seus filhos, o que também implicaria na suspensão do benefício.

A pena à qual Dado foi condenado deve ser cumpria em regime aberto, em Casa de Albergado. Como o Rio possui apenas uma unidade desse tipo de estabelecimento penal, os presos desse regime cumprem Prisão Albergue Domiciliar (PAD), monitorados por tornozeleira eletrônica.

Dado Dolabella chegou a ser condenado, em 2008, por ter agredido sua ex-mulher, a atriz Luana Piovani em uma boate na Zona Sul do Rio. Ele recebeu uma pena de dois anos e nove meses de prisão em regime aberto. Em 2013, os advogados do ator conseguiram anular a condenação na Justiça sob a alegação de que no caso de Dado e Luana, a Lei Maria da Penha não se aplicava.

Com isso, o processo voltou ao início. De acordo com consulta feita no site do Tribunal de Justiça do Rio, a ação está suspensa. A briga ocorreu durante festa em outubro de 2008, na boate 00, na Gávea, na Zona Sul. Durante a discussão com Dado, a atriz caiu no chão. Ela afirmou que a queda foi provocada por um tapa no rosto.