Em resposta a protestos, Chile reduz pela metade salário de políticos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em uma decisão unânime (150 votos a favor), a Câmara dos Deputados do Chile aprovou nesta quarta-feira (27) uma lei que reduz em 50% o salário e outras remunerações dos parlamentares.

A medida vale provisoriamente durante 60 dias enquanto uma comissão autônoma define os novos tetos para altos funcionários do Estado e políticos eleitos. Estão excluídos da medida os prefeitos e membros do Judiciário e do Ministério Público.

A comissão técnica que vai discutir as remunerações deve incluir servidores que já trabalharam no Banco Central e na Controladoria Geral da República.

No fim da sessão, o deputado Gabriel Boric, um dos apoiadores da iniciativa, disse ao jornal La Tercera que espera que a redução de 50% "seja o piso" da comissão para fixar os novos valores.

O deputado Jorge Alessandri criticou o fato de o Judiciário ter ficado de fora do ajuste. "Acreditávamos que o sinal de apertar o cinto era importante". Ele disse ainda esperar que a comissão reconsidere essa decisão.