Em reunião com secretários estaduais, governo federal promete ampliar vacinação de policiais

Dimitrius Dantas
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — Em reunião realizada na tarde desta terça-feira, o governo federal se comprometeu com secretários estaduais de segurança pública a ampliar a vacinação para agentes de segurança. O governo Bolsonaro vem sendo pressionado tanto por representas das forças policiais como pelos secretários para aumentar a imunização do grupo.

A reunião contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do miinistro da Justiça, Anderson Torres. Bolsonaro participou apenas da abertura da reunião e, de acordo com pessoas presentes, disse que é sensível ao pedido de inclusão da maioria dos policias entre o grupo prioritário para vacinação. Nesta terça-feira, Torres se reuniu com o ministor da Saúde, Marcelo Queiroga, para que o Ministério da Saúde atualize o Plano Nacional de Imunização.

No último dia 31, já em resposta à pressão pela inclusão dos policiais, o Ministério da Saúde publicou uma nota técnica antecipando a vacinação de policiais. O documento, entretanto, foi visto como muito restritivo pelos secretários estaduais.

Pela decisão do Ministério, foi antecipada a vacinação de trabalhadores de forças de segurança envolvidos no atendimento ou transporte de pacientes, resgate ou atendimento pré-hospitalar, ações de vacinação e, por fim, aqueles que partcipam de ações de vigilância de medidas de distanciamento social.

Como o número de vacinas destinados para as forças de segurança tem sido pequeno, alguns estados, como São Paulo, iniciaram a vacinação de policiais sem diferenciar o tipo de trabalho realizado.

— A nota técnica parecia que era boa para a segurança mas, na realidade, não foi. Ela é muito restritiva, não inclui ninguém da polícia civil, agente penitenciário. O trabalho policial é um trabalho conjunto e que envolve vários grupos — afirmou Cristiano Barbosa Sampaio, secretário de segurança pública do Tocantins e presidente do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública.

A expectativa dos secretários é que a atualização do Plano Nacional de Imunização prometida pelo governo federal coloque mais policiais entre aqueles aptos a serem vacinados.

Nesta quarta-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou a antecipaçao de 2 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech. Um cronograma divulgado em março pela pasta previa a entrega de 13,5 milhões de doses em maio, que seriam o lote total de entregas do primeiro semestre. Agora, com a antecipação de 2 milhões de unidades, o Brasil totalizará 15,5 milhões de doses do imunizante da Pfizer até junho.