Em reunião tensa com França, Molon mantém candidatura ao Senado

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Em uma reunião tensa de quase duas horas na noite desta quinta-feira com o ex-governador Márcio França, tesoureiro do PSB, o deputado federal Alessandro Molon manteve a sua intenção de concorrer ao Senado no Rio. O encontro aconteceu na sede do diretório paulista da legenda.

De acordo com interlocutores, na conversa, avaliada como "difícil", Molon avisou que levará a sua candidatura até o fim. Tanto França como o parlamentar saíram sem falar ao fim da reunião.

A executiva nacional do PSB decidiu na quarta-feira que caso insista em concorrer ao Senado, o deputado não receberá recursos do fundo eleitoral. A medida foi a forma encontrada para atender aos apelos do PT e asfixiar a candidatura de Molon.

O PT pressiona para que o PSB abra mão da disputa pelo Senado para manter a aliança com Marcelo Freixo, candidato a governador. Os petistas querem que o candidato ao Senado da chapa seja o presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano.

Nesta sexta-feira, a executiva do PT vai se reunir novamente para deliberar se mantém a aliança.

— Por uma questão de respeito ao PSB, resolvemos estender o prazo até amanhã, dando oportunidade de a direção do PSB cumprir com o acordo político para nós unificarmos o campo no Rio — afirmou a presidente do PT, Gleisi Hoffmann.

Há uma construção dentro do PT para manter a aliança com Freixo, mesmo com a insistência de Molon. Questionada sobre isso, Gleisi respondeu:

— Sobre isso, vou falar amanhã porque nós temos um debate, mas temos um compromisso e nós quando fazemos um compromisso a gente cumpre o compromisso.

A presidente do PT acredita que a divisão com duas candidaturas ao Senado pode enfraquecer o palanque de Lula no estado.

— Não é possível a gente dividir a disputa para o Senado num palanque tão importante como é o Rio. E com uma oportunidade grande que nós temos, com a candidatura do Freixo, de vencer .

Como Lula já afirmado na semana passada em um vídeo gravado, Gleisi reforçou que o candidato do ex-presidente ao Senado no Rio é Ceciliano.

— Nós vamos ter um candidato ao Senado. O candidato do Lula ao Senado é o André Ceciliano e o candidato ao governo é o Freixo. Para deixar claro, as nossas candidaturas são de André Ceciliano e de Freixo. São os candidatos oficiais do palanque do Lula no Rio de Janeiro.

Gleisi elogiou a decisão do PSB de deixar Molon sem recursos do fundo eleitoral.

— O PSB oficializou na executiva que não vai dar o financiamento eleitoral. Acho que isso já é grave o bastante porque quando tira o financiamento o que o candidato vai fazer? Se virar, vai ser candidato de quem? Dele mesmo? Acho que teve um passo importante e resolvermos estender esse prazo para sexta-feira. Acho que vamos resolver em bons termos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos