Em Rio Branco, prefeita vai enfrentar ex-prefeito de cidade vizinha no segundo turno

ANA LUIZA ALBUQUERQUE
·1 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Tião Bocalom (PP) e a prefeita Socorro Neri (PSB) disputarão o segundo turno na capital do Acre nas eleições deste ano. Bocalom obteve 49,58% dos votos válidos, contra 22,68% da prefeita. Bocalom foi eleito prefeito de Acrelândia (AC) três vezes, mas vem acumulando uma série de derrotas desde 2006. Desde então, disputou e perdeu o governo do Acre três vezes, a prefeitura de Rio Branco duas vezes e a eleição para deputado federal em 2018. Em 2020, no entanto, sua campanha disparou, enquanto a prefeita, que tem o apoio do governador Gladson Cameli, desidratou. Na pesquisa Ibope de 16 de outubro, Bocalom tinha 16% das intenções de voto. Em 10 de novembro, já havia subido para 28%. No mesmo período, Socorro Neri caiu de 26% para 22%. No segundo turno, a prefeita ainda precisará lidar com uma alta rejeição. De acordo com o Ibope, 35% dos eleitores não votariam nela de jeito nenhum. O Ibope de 10 de novembro projetava que, em um eventual segundo turno, Bocalom teria 50% dos votos, contra 39% de Socorro Neri. O ex-reitor da Universidade Federal do Acre e professor universitário Minoru Kinpara (PSDB) foi o terceiro mais votado em Rio Branco, com 14,62% dos votos. Também disputaram Roberto Duarte (MDB), Zen (PT), Jarbas Soster (Avante) e Jamyl Asfury (PSC).