Em São Paulo, coronavírus cresce quatro vezes mais rápido no interior que na Capital

SÃO PAULO. O avanço da pandemia do coronavírus avança em uma velocidade quatro vezes maior no interior do estado de São Paulo que na capital, informa estudo divulgado nesta quarta-feira pelo governo paulista. O estudo realizado com base nos dados das secretarias estaduais da Saúde de Desenvolvimento Regional indica que, entre os dias 1º e 30 de abril, o avanço do coronavírus foi de 3.302% no interior (de 129 casos para 4.389), enquanto que na região metropolitana de São Paulo o crescimento foi de 770% (de 2.793 para 24.309). Ao mesmo tempo, a taxa de isolamento no mês foi caindo em todas as regiões no estado no mesmo período.

- este estudo mostra um crescimento muito agressivo no interior, juntamente com a queda da taxa de isolamento. Isso demonstra uma complexidade e um risco muito grande, na medida que os hospitais do interior já tem 67% de ocupação por doentes com a Covid-19 - disse Marco Vinholi, secretário do desenvolvimento regional do estado de São Paulo.

“Em 17 de março somente nove cidades da RMSP tinham casos e apenas a Capital registrava óbitos. Hoje a doença está em todo território paulista com casos em 332 municípios (51,5% dos 645 do Estado) e mortes registradas em 150 cidades. Desse total, 332 municípios com casos, 293 estão no Interior/Litoral (88%), e das 150 cidades com óbitos, 114 são do Interior/Litoral (76%)”, informou o documento.

Ele afirma que a questão do índice de isolamento pode explicar a razão de, regiões com a mesma distância da capital, apresentarem estágios diferentes da doença. Na região administrativa de São José dos Campos, onde a taxa de isolamento social é a maior do interior, de 57%, os casos de coronavírus cresceram 172% nos últimos quinze dias de abril. Porém, em Presidente Prudente, mesmo mais distante da capital - o que dificultaria, em tese, a expansão do vírus - , a taxa de isolamento está em 41% da população e os casos de covid-19 registraram alta de 458% entre 15 e 30 de abril, segundo o estudo.

“Dados demonstram que durante o mês de abril, houve queda do índice de Isolamento Social e aumento do número de casos e óbitos em todas as regiões do Interior e Litoral do Estado de São Paulo”, afirma o estudo.

Estes dados serão utilizados para regular a eventual retomada das atividades no estado, em isolamento social desde 23 de março. A expansão da epidemia é alguns dos parâmetros, junto com o uso da rede hospital e do nível de isolamento da população, medida fundamental para evitar a propagação do vírus.

- Em São Paulo tomaremos decisões com base na ciência, temos uma comissão que está analisando isso. Mas os dados nos mostram uma preocupação muito grande - disse Vinholi.