Em sinal de alerta para o governo, Senado adia novamente privatização dos Correios

·1 min de leitura

BRASÍLIA – A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) adiou nesta terça-feira, mais uma vez, a votação do projeto de lei que permite a privatização dos Correios. O governo tem pressa para aprovar a venda da estatal ainda neste ano. Do contrário, a concessão da companhia ficará apenas para 2023.

Ao retomar a análise da proposta, o presidente da comissão, senador Otto Alencar (PSB-BA), informou que o relator do projeto, Marcio Bittar (PSL-AC), fez uma alteração no relatório, ficando suspensa a votação “para uma outra oportunidade”. Depois da análise, será marcada uma data para apreciação da proposta.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE) disse que o relator comunicou os deputados nesta manhã sobre a alteração. Segundo ele, Bittar vai acrescentar ao projeto a preservação das agências dos correios em cidades com menos de dois mil habitantes na Amazônia Legal.

— Isso vai merecer uma nova reavaliação por parte desta comissão. Portanto, concordo com o encaminhamento — disse o líder do governo.

A privatização dos Correios foi aprovada em agosto na Câmara. Em entrevista ao GLOBO, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou que a privatização dos Correios precisa ser votada no Senado ainda neste mês para que a operação seja concretizada no próximo ano, como prevê o governo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos