Em sinalização ao mercado, Bolsonaro afaga Guedes e diz não ter briga com Petrobras

DANIEL CARVALHO
·2 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro (R) and Finance Minister Paulo Guedes attend the National Flag Day celebration at Planalto Palace in Brasilia, on November 19, 2020. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Depois de derrubar o mercado com declarações e intervenção na Petrobras, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) procurou tranquilizar investidores nesta terça-feira (23) ao afagar o ministro Paulo Guedes (Economia) e ao dizer que não quer brigar com a petroleira.

"Energia é uma coisa extremamente importante para nós. Não temos uma briga com a Petrobras. Queremos, sim, que, cada vez mais, ela possa nos dar transparência e previsibilidade", disse Bolsonaro ao discursar em um evento no Palácio do Planalto com dezenas de prefeitos de todo o país.

Leia também:

"Não precisamos esconder reajustes ou seja lá o que for que integra o preço final dos combustíveis", prosseguiu o presidente.

Bolsonaro também comemorou a sinalização de recuperação da Petrobras um dia depois de a empresa registrar perdas de mais de 20% em suas ações.

Dirigindo-se a "todos aqueles que não se deixaram levar pelas falácias da mídia", ele disse que a estatal havia recuperado 10% nesta terça.

"As acusações infundadas duraram poucas horas", afirmou.

Nesta tarde, Bolsonaro mudou de tom em relação ao atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

Na segunda-feira (22), em conversa com apoiadores, o presidente disse que o chefe da estatal havia ficado 11 meses "sem trabalhar", referindo-se ao home office feito por causa da pandemia.

Já nesta terça, disse que sai "um bom gestor" para entrar "outro excelente gestor", referindo-se ao general Joaquim Silva e Luna.

Diante das especulações de que Paulo Guedes poderia deixar o Ministério da Economia por causa da intervenção na Petrobras, Bolsonaro também procurou afagar o ministro.

"Uma das pessoas mais importantes nesta luta foi o senhor ministro Paulo Guedes, que, obviamente, por ser um homem que decide as finanças do governo, ele tem amigos e opositores, mas todo mundo, a todos, ele tratou com muita galhardia. E precisamos da economia para vencer a pandemia", disse Bolsonaro.

O ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) também fez menção a Guedes em seu discurso.

"Queria, em especial, dos ministros que estão aqui, saudar o ministro Paulo Guedes. Este ministro que tem feito o que é possível para o nosso país, pela sua resiliência, sua determinação e força de vontade", disse Ramos.

O evento, lançamento de um portal para auxiliar gestores municipais durante o mandato, reuniu dezenas de prefeitos de diversos estados.

Muitos deles, assim como Bolsonaro, parte dos ministros e funcionários do governo, estavam sem máscara. A cerimônia aconteceu em um salão amplo, mas fechado e com ar-condicionado.