Em Sorocaba, polícia apreende pipas após denúncia de apologia ao nazismo

Polícia apreende pipas após denúncia de apologia ao nazismo. Foto: Getty Images.
Polícia apreende pipas após denúncia de apologia ao nazismo. Foto: Getty Images.

A Polícia Militar de São Paulo, apreendeu várias pipas nesta quinta-feira (11), depois de receber uma denúncia de apologia ao nazismo em um comércio em Sorocaba (SP). O gerente do estabelecimento chegou a ser levado à delegacia, mas foi ouvido e liberado. Nas pipas, vendidas no estabelecimento, estavam estampadas suásticas, símbolo nazista.

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da cidade recebeu a denúncia de que o comércio no Parque Vitória Régia estava vendendo os produtos, fazendo apologia ao nazismo.

O presidente da comissão, o advogado Hugo Bruzi, informou que uma senhora relatou que viu os produtos no estabelecimento na quarta-feira (9) e avisou o gerente de que se tratava de um símbolo nazista.

No entanto, o dono teria dito que era melhor ter o símbolo nazista do que algo relacionado a Lula e ao PT.

"Mas ele teria dito que era preferível ter aquela pipa do que ter algo relacionado ao Lula ou ao PT. Por conta disso, ela entrou em contato com a OAB e nós fomos ao estabelecimento na quinta-feira", afirma.

A comissão encontrou as pipas na entrada do comércio e questionou o gerente sobre a venda dos produtos.

"Ele disse que não sabia do que se tratava, desconversou o que a cliente tinha dito, negou que tinha falado aquilo e alegou que as pipas chegaram todas em um lote", relata. Diante dos fatos, a PM foi acionada e esteve no local e o dono do estabelecimento, de 50 anos, foi levado à delegacia.

O homem disse à polícia que recebeu as pipas em uma caixa fechada do fabricante, sem escolher as estampas, e que não sabia o significado do símbolo. A delegada entendeu, segundo o advogado, que não foram preenchidos os requisitos de flagrante delito e o homem foi liberado.

De acordo com a Polícia Civil, será feita perícia nas pipas para verificar se as estampas foram impressas daquela forma ou se faziam parte de um grande desenho que, ao ser recortado, ficou parecido com o símbolo nazista. O caso foi encaminhado para o 8º Distrito Policial nesta sexta-feira (11).