Em SP, atos contra homenagens escravocratas e eugenistas marcam dia da abolição

·6 minuto de leitura
Um dos monumentos visitados foi o do Borba Gato, na Zona Sul da capital (Foto: Douglas Gonçalves/Divulgação)
Um dos monumentos visitados foi o do Borba Gato, na Zona Sul da capital (Foto: Douglas Gonçalves/Divulgação)
  • O movimento e manifesto "SP é Solo Preto e Indígena" realiza intervenções em frente a monumentos que homenageiam escravocratas e eugenistas na cidade de São Paulo, nesta quinta-feira (13)

  • O fim do trabalho escravo veio por meio da Lei Áurea, assinada em 13 de maio de 1888, pela regente do Brasil, a princesa Isabel. No entanto, o país está longe de respeitar e viver uma democracia racial

  • Neste 13 de maio, a Coalizão Negra Por Direitos convocou manifestações pelas ruas em todo o país; os atos estão ocorrendo desde às 10h

O movimento e manifesto "SP é Solo Preto e Indígena" realiza intervenções em frente a monumentos que homenageiam escravocratas e eugenistas na cidade de São Paulo, nesta quinta-feira (13), data que marca os 133 anos do dia em que foi abolida a escravidão no Brasil. 

O fim do trabalho escravo veio por meio da Lei Áurea assinada em 13 de maio de 1888 pela regente do Brasil, a princesa Isabel. No entanto, o país está longe de respeitar e viver uma democracia racial. Por isso, de acordo com os manifestantes, a data também é dia de protesto.

Leia também

As intervenções visuais, com faixas e cartazes, estão acontecendo desde a manhã desta quinta em pontos estratégicos da cidade, como a rua Jorge Velho, na Praça da Liberdade, em frente ao Monumento das Bandeiras e à Estátua do Borba Gato. 

Borba Gato, por exemplo, foi um traficante de escravos. Em São Paulo, a homenagem ao bandeirante localiza-se na Praça Augusto Tortorelo de Araújo, no distrito de Santo Amaro, na Zona Sul. A obra é composta por trilhos e pedras, revestida de pedras coloridas de basalto e mármore.

De acordo com os organizadores, a ação tem como base o projeto de lei 47/2021, que busca iniciar um processo de substituição de nomes de ruas, avenidas, rodovias, imagens e símbolos da cidade que homenageiam escravocratas ou/e eugenistas por referências históricas que marcam a luta, resistência e construção da cidade de São Paulo. 

Além disso, os manifestantem exigem a retirada e realocação desses monumentos e estátuas, a substituição por referências históricas que marcam a luta, resistência e construção da cidade de São Paulo.

"A derrubada de estátuas, monumentos e alteração de nomes de ruas e avenidas que homenageiam algozes da escravidão e genocidas negros e indígenas é internacional e representa o direito à cidade, à liberdade a justiça racial", explica a vereadora Luana Alvez, autora do projeto.

Segundo ela, a medida serve para que haja "a plena circulação em espaços urbanos onde não sejamos mais constrangidos por brutais personagens históricos que impuseram a violência, morte ou negação da própria humanidade a negros e indígenas".

Ato em SP marca os 133 anos da abolição da escravatura no Brasil (Foto: Douglas Gonçalves/Divulgação)
Ato em SP marca os 133 anos da abolição da escravatura no Brasil (Foto: Douglas Gonçalves/Divulgação)

Preservação da memória de territórios negros

A ação também reinvindica a importância da preservação da memória de territórios negros como a Barra Funda, onde nasceu o samba paulista, através do tombamento como patrimônio histórico dos territórios com significados importantes para a luta de resistência dos negros e indígenas na cidade.

Outro exemplos:

  • O bairro da Liberdade, onde foi o pelourinho da cidade e o largo da forca

  • O bairro do Jabaquara, onde existiu o quilombo da Passagem

  • O bairro do Bixiga, onde existia o Quilombo da Saracura

Entre as mudanças, também está a alteração do nome de uma rua localizada no bairro Bom Retiro, que homenageia o bandeirante Domingos Jorge Velho, responsável pelo assassinato da liderança quilombola Zumbi dos Palmares. Segundo a vereadora, o desejo é que a rua se chame “Zumbi Vive”.

Distribuição de cestas básicas

No distrito da Brasilância, periferia da Zona Norte da capital, a Frente Nacional Antiracista fez um ato que marcou os 133 anos da abolição da escravatura no Brasil. Por lá, foram distribuídas camélias, que simbolizam a luta abolicionista. A flor era plantada no jardim das casas de pessoas que se juntavam à causa contra o racismo.

Por causa da pandemia, nesta quinta-feira (13) foram distribuídas 2.000 cestas básicas para famílias que se cadastraram para o recimento das doações. São pessoas que vivem em comunidades da região, quilombolas, indígenas e ribeirinhas.

A ação acontece também em outras capitais brasileiras e tem a parceria da Central Única das Favelas (Cufa).

Atos por todo o Brasil

Neste 13 de maio, a Coalizão Negra Por Direitos convocou manifestações pelas ruas em todo o país para exigir justiça para as vítimas do massacre na Favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, e de todas as operações policiais que resultaram nas mortes nas favelas e comunidades do Brasil.

Os atos estão ocorrendo desde às 10h de hoje. Segundo os organizadores, os atos do “13 de maio de lutas” devem ocorrer em todos os estados, mais Distrito Federal. As ações levarão às ruas pautas do movimento negro contra a violência do Estado e o genocídio negro.

Além disso, os manifestantes reivindicam por Auxílio Emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia, o direito da população negra à vacina contra o coronavírus pelo SUS e o pedem o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

As organizações dos protestos orientam quem for participar para "comparecer de máscaras, higienizar as mãos com álcool gel constantemente e manter o distanciamento social seguro".

Confira a programação dos atos pelo país*:

º Rio de Janeiro

CentroCandelária

Concentração: 17h

– Maricá – Portal de Entrada da Cidade – Inoã

Concentração: 7:30h

Macaé – Praça Veríssimo de Melo

Concentração: 15h

Niterói – Av. Ernani do Amaral Peixoto, 577, em frente ao Fórum de Justiça e 76º Delegacia de Polícia

Concentração: 15h

Nova Friburgo – Praça Dermeval Barbosa Moreira (Obelisco)

Concentração: 17h

Petrópoles – Praça Dom Pedro

Concentração: 17h

Angra dos Reis – Praça do Porto,

Concentração: 17h

º Acre

– Esquina da Alegria, Rio Branco
Concentração: 7h

º Alagoas

– Praça Marechal Deodoro, Centro, Maceió
Concentração: 15h

º Amapá

– Fortaleza de São José de Macapá, Macapá
Concentração: 16h

º Amazonas

– Praça da Polícia, Centro, Manaus
Concentração: 16h (17h no horário de Brasília)

º Bahia

– Praça da Piedade, Salvador
Concentração: 11h

º Ceará

– Estátua de Iracema, Fortaleza
Concentração: 10h

º Distrito Federal

– Praça dos Três Poderes, em frente ao STF, Brasília
Concentração: 17h

º Espírito Santo

– Praça Costa Pereira – Centro, Vitória
Concentração: 17h

º Goiás

– Av. Anhanguera, 7364, Setor Aeroviário, em frente à Secretaria da Segurança Pública de Goiânia
Concentração: 13h

º Maranhão

– Praça Deodoro, São Luís
Concentração: 17h

º Mato Grosso

– Praça da Mandioca, Cuiabá
Concentração: 18h

º Minas Gerais

– Praça Afonso Arinos – Belo Horizonte
Concentração: 17h

º Pará

– Altamira – Ato Virtual às 15h
Transmissão: Coletivo de Mulheres Negras “Maria Maria” Comunema

– Santarém – Praça da Matriz
Concentração: 17h

-Belém – Praça da República
Concentração: 18h

º Paraíba

– João Pessoa – Lagoa
Concentração: 15h

º Paraná

– Londrina – Em Frente a GAECO
Concentração: 13h

Londrina – Calçadão, Escadaria da Pernambucanas
Concentração: 17h

Curitiba – Praça Santos Andrade
Concentração: 18h

– Ponta Grossa – Praça dos Polacos
Concentração: 18h

º Pernambuco

– Praça do Derby, Recife
Concentração: 17h

º Piauí

– Praça da Liberdade, Teresina
Concentração: 15h

º Rio Grande do Norte

– Shopping Midway Mall, Natal
Concentração:16h

º Rio Grande do Sul

– Esquina Democrática, Porto Alegre
Concentração:17h

º São Paulo

– Atibaia, em frente a rodoviária da cidade
Concentração: 10h

Santos – Praça José Bonifácio
Concentração: 12h

– São José dos Campos – Praça da Igreja Matriz
Concentração: 16h

Centro – Av. Paulista – Vão livre do MASP
Concentração: 17h

Bauru – Praça Dom Pedro II, em frente à Câmara Municipal
Concentração: 17h

Ilha Bela – Praça do Pimenta de Cheiro
Concentração: 17h

Jacareí – Pátio dos Trilhos –
Concentração: 17h

Campinas – Largo do Rosário
Concentração: 18h

º Santa Catarina

– Rua Largo da Alfândega, Florianópolis
Concentração: 17h

º Sergipe

– Rua Abolição, Aracaju
Concentração: 17h

Atos internacionais:

º USA – Union Square, New York
Concentração: 11h30 am

º USA – Austin/Texas – Capitol
Concentração: 7h30 pm

º London – Brazilian Embassy
Concentração: 15th May at 12h am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos