Em SP, idosos de 68 anos poderão se vacinar a partir de 5 de abril

Anita Efraim
·3 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - MARCH 15: A senior citizen receives the coronavirus vaccination shot at a vaccination post in the Republica Basic Health Unit on March 15, 2021 in Sao Paulo, Brazil. The state of Sao Paulo started to immunize citizens aged between 75 and 76 years old. Health authorities announced they expect to vaccinate 420,000 people within this phase and should reach the milestone of 4 million vaccinated people today. Brazil has over 11.400,000 confirmed positive cases of coronavirus and has over 278,000 deaths. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)
São Paulo começará a vacinar idosos de 68 anos, professores e policiais (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)
  • Idosos de 68 anos poderão começar a se vacinar em 5 de abril

  • SP está vacinando pessoas de 69 e 71 anos

  • Até agora, 5,3 milhões de doses da vacinas foram aplicadas no estado

A partir de 5 de abril, idosos de 68 anos poderão começar a se vacinar em todo o estado de São Paulo. O anúncio foi feito pelo vice-governador Rodrigo Garcia nesta sexta-feira (26). A expectativa é que sejam vacinadas 350 mil pessoas dessa faixa etária. 

Hoje, começaram a ser vacinados os idosos entre 69 e 71 anos. O grupo reúne cerca de 910 mil pessoas. 

Até o momento, São Paulo aplicou 5,3 milhões de vacinas contra a covid-19, sendo 4 milhões de primeira dose e 1,3 milhão de segunda dose. 

Vacinação de professores 

Em todo o estado de São Paulo, professores começarão a ser vacinados contra o coronavírus a partir de 12 de abril. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (24) pelo governador João Doria e pelo Secretário de Educação do estado, Rossieli Soares.

Inicialmente, a vacinação será para profissionais da educação a partir dos 47 anos.

"Começamos a vacinar 350 profissionais da educação que atual da creche ao ensino médio no estado de São Paulo. Nessa primeira etapa da de vacinação dos profissionais da educação, serão imunizados 35o mil professores, diretores de escolas, inspetores de alunos e profissionais que trabalham na rede estadual, rede municipal e rede privada", detalhou Doria.

A vacinação era uma demanda dos professores para que as aulas presenciais pudessem ser retomadas com maior segurança.

Vacinação de forças de segurança

O governo de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (24), que começará a vacinar profissionais de segurança pública contra a Covid-19.

A previsão do governador João Doria (PSDB) é que sejam imunizados cerca de 180 mil profissionais da PM (Polícia Militar), Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Científica, Agentes de Segurança e Agentes de Escolta Penitenciária, além de Guardas Civis Metropolitanas Municipais.

O início da vacinação dos policiais vai começar em 5 de abril e priorizará profissionais da ativa. "São profissionais essenciais e estão diariamente expostos na rua aos riscos do vírus", afirmou Doria.

O secretário de Segurança Pública, general João Campos, classificou o anúncio como uma "benção" e destacou que, do início da pandemia do novo coronavírus até agora, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) já registrou a morte de 70 PMs da ativa pela covid-19.

Anúncio da ButanVac

Na manhã desta sexta-feira (26), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciaram o desenvolvimento da ButanVac, uma vacina contra a covid-19 feita 100% no Brasil.

O desenvolvimento da ButanVac começou há um ano, em 27 de março de 2020, a pretende começar a vacinar com o imunizante ainda em 2021. A tecnologia da nova vacina é a mesma usada para produção da vacina da gripe.

Veja o que se sabe até o momento sobre a nova vacina brasileira:

Em que estágio está o estudo da ButanVac?

Até o momento, foram feitos estudos pré-clínicos da vacina, ou seja, apenas em animais. Nesta sexta, o Butantan vai enviar à Anvisa o pedido de autorização para iniciar os testes em pessoas. Também serão enviados documentos referentes à vacina para a Organização Mundial da Saúde.

O objetivo é que, em abril, com a autorização da Anvisa, o Butantan possa começar a nova etapa de testes, com as fases 1 e 2.