Em temporada ditada por lesões, Suns e Bucks lutam para ser os últimos de pé

·4 minuto de leitura
MILWAUKEE, WISCONSIN - APRIL 19: Jrue Holiday #21 of the Milwaukee Bucks knocks the ball away from Deandre Ayton #22 of the Phoenix Suns in the third quarter at Fiserv Forum on April 19, 2021 in Milwaukee, Wisconsin.  NOTE TO USER: User expressly acknowledges and agrees that, by downloading and or using this photograph, User is consenting to the terms and conditions of the Getty Images License Agreement. (Photo by Quinn Harris/Getty Images)
MILWAUKEE, WISCONSIN - APRIL 19: Jrue Holiday #21 of the Milwaukee Bucks knocks the ball away from Deandre Ayton #22 of the Phoenix Suns in the third quarter at Fiserv Forum on April 19, 2021 in Milwaukee, Wisconsin. NOTE TO USER: User expressly acknowledges and agrees that, by downloading and or using this photograph, User is consenting to the terms and conditions of the Getty Images License Agreement. (Photo by Quinn Harris/Getty Images)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Donovan Mitchell, Mike Conley Jr., Chris Paul, Jamal Murray, Kawhi Leonard, LeBron James, Anthony Davis, Joel Embiid, Kyrie Irving, James Harden, Giannis Antetokounmpo, Trae Young, Victor Oladipo, Jaylen Brown e Kemba Walker. 

Todos eles perderam partidas dos "playoffs" da NBA por lesão ou atuaram com limitações severas. A lista, que reúne apenas os nomes de primeiro nível afetados por problemas físicos no momento decisivo do campeonato, oferece um bom retrato do que tem sido a acidentada temporada do basquete norte-americano. 

Leia também:

Com um calendário espremido -ainda em decorrência da paralisação de quatro meses na disputa anterior, por causa da pandemia de Covid-19-, as contusões se tornaram recorrentes e decisivas. Ao que tudo indica, será assim até a final, que terá início nesta terça-feira (6), às 22h (de Brasília), com transmissão da ESPN. 

Phoenix Suns e Milwaukee Bucks são os times que sobreviveram até aqui, mas não sem escoriações. No momento, a situação mais complicada é a dos Bucks, já que seu principal atleta, Giannis Antotokounmpo, tem lesão no joelho esquerdo e é tratado como dúvida no início da série melhor de sete jogos. 

Foi sem o ala-pivô que o Milwaukee venceu as duas últimas partidas e fechou em 4 a 2 a decisão da Conferência Leste, contra o Atlanta Hawks. Eleito melhor jogador das temporadas 2018/19 e 2019/20, o grego vinha registrando ótimas médias de 28,2 pontos, 12,7 rebotes e 5,2 assistências nos mata-matas, e sua condição física pode ser a diferença entre o título e o vice-campeonato. 

O técnico Mike Budenholzer não está, porém, reclamando da própria sorte. Foi só após as lesões de James Harden e Kyrie Irving, do Brooklyn Nets, que os Bucks renasceram nas semifinais do Leste. Os Nets abriram 2 a 0 com domínio amplo -venceram o jogo 2 por 39 pontos de diferença-, mas não resistiram aos problemas físicos e acabaram perdendo por 4 a 3. 

Na primeira rodada do mata-mata, a equipe de Wisconsin já havia feito 4 a 0 em um Miami Heat sem Victor Oladipo, que precisou de cirurgia no joelho direito. E, na decisão do Leste, ainda que tenha sofrido com a lesão de Antetokounmpo, viu o principal nome do Atlanta, Trae Young, ser também afastado, por uma torção no tornozelo direito. 

Não foi muito diferente a história da Conferência Oeste. O Phoenix Suns também teve problemas -Chris Paul jogou limitado por uma lesão no ombro e ficou fora de duas partidas por Covid-19-, mas os adversários enfrentaram dificuldades ainda maiores. 

O time do Arizona começou sua campanha no mata-mata contra o Los Angeles Lakers, que defendia o título. LeBron James estava longe de sua capacidade habitual, com uma lesão no tornozelo esquerdo, mas os Lakers mostraram força e abriram 2 a 1 em um jogo dominante de Anthony Davis. Aí, Davis lesionou a virilha esquerda, e o Phoenix fez 4 a 2. 

Na sequência, os Suns enfrentaram o Denver Nuggets. Mesmo com o talento de Nikola Jokic, eleito o melhor jogador desta temporada, o adversário não foi páreo sem a presença do armador Jamal Murray, submetido a cirurgia no joelho esquerdo. O time de Monty Williams avançou fazendo 4 a 0 e, em seguida, bateu por 4 a 2 um Los Angeles Clippers sem seu líder, Kawhi Leonard, por torção no joelho direito. 

Para LeBron James, a avalanche de lesões não é por acaso. O calendário apertado e o início da temporada com o menor intervalo da história do torneio -72 dias-, disse o craque, são as causas. "Não quiseram me ouvir. Eu sabia exatamente o que aconteceria", afirmou. 

A NBA respondeu apontando que "as lesões são uma realidade do jogo todo ano". "Como na última temporada, o vencedor deste ano terá superado uma tremenda quantidade de adversidades e será um campeão merecedor", declarou Tim Frank, porta-voz da NBA. 

Bucks e Suns lutam para ser essa equipe. No fim das contas, o vencedor será o último time de pé.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos