Em tempos de quarentena, ABL e editoras investem em eventos virtuais e promoções

Ruan de Sousa Gabriel
Academia Brasileria de Letras (ABL)

SÃO PAULO – Para tentar conter a disseminação do novo coronavírus, a Academia Brasileira de Letras (ABL) fechou as portas na quinta-feira passada (12), mas promete manter as janelas abertas. Janelas virtuais, no caso. Enquanto durar a quarentena, a instituição vai tocar o projeto #ABLEmSuaCasa e disponibilizar, em suas redes sociais, leituras dramáticas, apresentações musicais e fotos de acadêmicos do passado.

O presidente da ABL, Marco Lucchesi, cuja família é toda da Itália, disse ao GLOBO que uma das inspirações foram as cantorias e as danças nas janelas e varandas do país, que está em quarentena desde o início de março.

– Vamos abrir janelas virtuais para continuar o diálogo da ABL com a sociedade – afirma Lucchesi, que também é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). – A cultura já não andava bem das pernas e parar agora seria um desserviço para a promoção dos valores republicanos. Temos de continuar atuantes nestes tempos em que não há cordas vocais suficientes para reclamar o exercício da tolerância e paz. Vamos honrar a constituição pensada por Machado de Assis (fundador da ABL) e por seus contemporâneos.

Além de vídeos ou áudios de acadêmicos lendo textos próprios ou de colegas, a #ABLEmSuaCasa também pretende oferecer pequenas apresentações musicais. Como o projeto “Música de Câmara na ABL” está suspenso, Lucchesi está conversando com instrumentistas para que eles compartilhem vídeos tocando casa. O primeiro a gravar um solo foi o próprio Lucchesi.

Na manhã de quinta-feira (19), a página da ABL no Facebook compartilhou um vídeo na qual Lucchesi aparecia tocando “Adeus ao piano”, peça atribuída a Beethoven. A mãe de Lucchesi, que nasceu em Lucca, na Itália, costumava tocar essa peça depois dos bombeiros da Segunda Guerra Mundial.

– É uma música muito simples, que fala de esperança, de passado e de futuro. Se é de Beethoven, de Marco ou de Luiz, não faz diferença – diz Lucchesi.

A previsão é que ABL permaneça fechada pelos próximos três meses. O atendimento nas bibliotecas Rodolfo Garcia e Lúcio de Mendonça e também no arquivo Múcio Leão está suspenso. As demais atividades da instituição – ciclos de conferências, seminários, visitas guiadas, sessões de cinema – foram todas adiadas e serão remarcadas assim que a instituição retomar suas atividades.

Editoras se mobilizam para quarentena com eventos virtuais e promoções

Impossibilitadas de fazer eventos de lançamento enquanto durar a epidemia de coronavírus e preocupadas com o iminente fechamento das livrarias físicas, as editoras estão planejando eventos virtuais e baixando os preços dos e-books para manter quem está de quarentena perto dos livros.

Confira abaixo os projetos que algumas editoras já estão botando em prática:

Record

O Grupo Editorial Record vai promover uma "Quarentena Literária": encontros virtuais entre autores, editores, críticos literários e, é claro, leitores. A estréia será na segunda-feira (23), às 10h. No primeiro episódio, o crítico literário Manuel da Costa Pinto discute “A peste”, livro do franco argelino Albert Camus cujas vendas aumentaram 65% este mês.

Quem quiser participar, deve acessar o site www.quarentenaliteraria.com, consultar o calendário dos programas e se inscrever no episódio que se interessar. Depois, receberá, por e-mail, uma notificação quando o bate-papo for começar. Os leitores poderão mandar perguntas – só não vale ofender outros participantes ou fazer perguntas impróprias.

Até o fim de março, a “Quarentena Literária” terá seis episódios com Manuel da Costa Pinto (dia 23 às 10h), Ray Tavares (dia 23, às 20h), Lucas Rocha (dia 24, às 21h), Carina Rissi (25, às 19h), Fabrício Carpinejar (26, às 17h) e Regina Navarro Lins (dia 27, às 17h)

Além da Quarentena Literária, a Record vai lançar um pacote de apoio às livrarias físicas que estão fechadas e operando em esquema de delivery. A editora vai oferecer uma curadoria de livros com descontos exclusivos de, em média, 30%. A Record também estuda alguma forma de apoio financeiro às pequenas e médias livrarias.

Todavia

A Todavia anunciou que, neste fim de semana (dias 21 e 22) vai disponibilizar gratuitamente o e-book “Imunidade”, da americana Eula Biss. No livro, Biss narra como ficou obcecada por doenças após ter um bebê e buscou respostas em diversos lugares, como nos escritos da filósofa americana Susan Sontag sobre a epidemia de Aids. Biss também discute outras epidemias recentes, o uso de álcool em gel e a vacinação de crianças. No sábado e no domingo, o e-book poderá ser baixado de graça nas plataformas da Amazon, Apple, Google e Kobo. A partir de segunda, o e-book vai custar R$ 9,90.

De 23 a 31 de março, todos os títulos da Todavia estarão com até 60% de desconto no site da editora e em sites de livrarias parceiras. E-books também vão entrar em promoção. Os editores também estarão a postos nas redes sociais para responder a perguntas de leitores sobre a produção do livro, apresentar os lançamentos de abril e também vão assinar newsletters com temas diversos.

Todos os eventos de lançamento programados para o primeiro semestre foram cancelados. No entanto, haverá um lançamento virtual de “A casa”, livro-reportagem de Chico Felitti sobre João de Deus. Outros autores da casa também vão disponibilizar vídeos com sugestões de leitura e outras atividades para a quarentena.

Companhia das Letras

Na última segunda-feira (16), o Grupo Companhia das Letras anunciou o adiamento de todos os lançamentos previstos para o mês de abril. Na nota enviada à imprensa, a Companhia lançou a hashtag #LeiaemCasa, que também é o nome de uma newsletter diária que começou a ser enviada aos leitores nesta quinta. As edições são temáticas – a primeira foi sobre distopias.

A Companhia também vai fazer eventos virtuais, transmitidos pelas redes sociais da editora sempre às 19h. Três deles já estão marcados: nesta sexta (20), o neurocientista Sidarta Ribeiro é entrevistado pelo editor Ricardo Teperman; na próxima terça (24), o escritor Alejandro Chacoff conversa com o editor Emilio Fraia sobre seu romance de estreia, “Apátridas”; na quarta (25), haverá um bate-papo com a antropóloga e historiadora Lilia Moritz Schwarz sobre “1984”, de George Orwell.

Na segunda (23), o Blog da Companhia começa a publicar os “diários de isolamento” de alguns autores da casa: Eliana Souza Silva, Jarid Arraes, Luisa Geisler, Jessé Andarilho, Gabriel Bá, Alejandro Chacoff e Elvira Lobato. Também haverá edições especiais do “Companhia indica”: 40 autores vão sugerir cinco livros para ler durante a quarentena. No canal da editora no YouTube, vão acontecer oficinas de escrita online também com autores da casa: Antonio Xernexesky vai falar sobre romance; Noemi Jaffe, cobre contos, Marília Garcia, sobre poesia; e Jarid Arraes, sobre cordel.

A Zahar, um dos selos da Companhia, vai oferecer gratuitamente o audiolivro “Como as democracias morrem”, de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt. O podcast “Rádio Companhia” tocar, em sete episódios, sempre às 20h, o audiolivro “Cem dias entre céu e mar”, como se fosse uma radionovela.

A editora também vai reforçar o #SocorroCompanhia, que informa leitores onde comprar determinados livros. Agora, o #SocorroCompanhia também vai ajudar livrarias que tiverem dificuldades para repor os estoques.

L&PM

Desde terça-feira, a L&PM está oferecendo um e-book gratuito por dia. Até esta sexta, já tinham sido disponibilizados “Alice no país das maravilhas”, de Lewis Carrol, “Arsène Lupin – Ladrão de casaca”, de Maurice Leblanc, “Viagem ao centro da Terra”, de Julio Verne e "Da tranquilidade da alma", de Sêneca. Todo o catálogo de e-books da editora está com 30% de desconto.

Ao GLOBO, o diretor editorial da L&PM Ivan Pinheiro Machado disse que não descarta fazer vídeos recomendando livros para a quarentena.

Rocco

A Rocco cancelou todos os eventos. Alguns deles foram transferidos para o segundo semestre, como a comemoração dos 20 anos de publicação do primeiro volume da série “Harry Potter”, que, provavelmente, será remarcada para agosto. No entanto, o lançamento das edições comemorativas da série está confirmado para 31 de maio. A editora também fará transmissões ao vivo nas redes sociais e pretende reforçar a divulgação dos podcasts sobre a obra de Clarice Lispector, que são gratuitos e estão disponíveis em diversas plataformas.

A partir de sábado, a editora vai disponibilizar um e-book gratuito por dia e dar desconto de 30% em todo o catálogo de livros digitais.

Planeta

A Planeta lançou a campanha #KeepReadingEmCasa incentivando o distanciamento social para conter a transmissão do coronavírus. Essa campanha começou na Espanha e replicada em todos os países onde o Grupo Planeta atua. A editora também está incentivando os leitores a compartilharem dicas de leituras nas redes sociais.

Uma seleção de e-books estão sendo vendidos a R$ 9,90 – são títulos, principalmente, de entretenimento e informação. Nesta quinta, a editora divulgou um vídeo no qual Leandro Karnal, Mario Sergio Cortella e Monja Coen (autores da casa) reforçam a importância dos livros e da leitura no momento atual.

Sextante

A Sextante adiou todos eventos – também como os grandes lançamentos – previstos para abril e maio.

– Não faz sentido publicamos livros que não tenham a oportunidade de alcançar o sucesso e o público que merecem – afirma Marcos da Veiga Pereira, um dos sócios da editora.

A Sextante também lançou a campanha #JuntosemCasa para incentivar “empatia, conhecimento, solidariedade e informação” por meio da divulgação de vídeo diários gravados por autores da casa como Sophie Deram, Allan Dias Castro, Daiana Garbin, Daniel de Barros e Breno Paquelet. Os temas são alimentação na quarentena, meditação e mindfulness, saúde mental e trabalho remoto, entre outros.

A editora também vai oferecer, gratuitamente, as versões digitais de todos os livros de Augusto Cury, assim como dois audiolivros do autor, “O homem mais inteligente da história” e “O homem mais feliz da história”, na plataforma Autibooks. É só usar o cupom VAMOSAJUDAR na hora de finalizar a compra. O cupom também vale para o audiolivro “Me poupe!”, de Nathalia Arcuri. O e-book “A riqueza da vida simples”, de Gustavo Cerbasi, também será disponibilizado de graça.

Intrínseca

A Intrínseca diminuiu em 30% os lançamentos dos próximos dois meses e manteve apenas apostas seguras na programação. Enquanto durar a quarentena, a editora promete turbinar suas redes sociais com textos antigos do blog que fizeram sucesso e também com conteúdo inédito. No Instragram, autores brasileiros, como Isabela Freitas e Andréa Pacha, e também estrangeiros, como John Green (de “A culpa é das estrelas), vão postar stories para alegrar o isolamento dos leitores. O programa “Bastidores da Intrínseca”, transmitido pelas redes sociais, também vai continuar.