Em vídeo, indígenas apelam para Biden não confiar em Bolsonaro

Amanda Scatolini
·2 minuto de leitura

“Não confie em Bolsonaro”, apela um vídeo endereçado ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, lançado pela Associação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), que viralizou nas redes sociais nesta segunda-feira. O intuito da entidade é alertar Biden sobre acordos climáticos que estariam sendo feitos a portas fechadas com o presidente brasileiro.

“Não deixe esse homem negociar o futuro da Amazônia. Ele declarou guerra contra nós. Contra os povos indígenas. Contra a democracia. Ele está espalhando Covid, mentiras e ódio”, diz a mensagem no vídeo, que traz imagens do desmatamento na região amazônica e de polêmicas de Bolsonaro. O vídeo ainda questiona: “É a Amazônia ou Bolsonaro. Não dá para conciliar os dois. De que lado você está?”. A postagem também pede que o americano ouça os povos que vivem na Amazônia e que a mantém viva, se tem interesse em ajudar.

A hashtag #AmazonOrBolsonaro chegou a entrar nos tópicos mais comentados no Brasil durante a tarde. E teve repercussão também fora do país. O ator e cineasta americano Mark Ruffalo comentou: “Assisti isso no @ApibOficial. Joe Biden, suas escolhas são Amazônia ou Bolsonaro. Escute os povos indígenas e faça a melhor escolha para as pessoas do Brasil e para a Terra”, escreveu Ruffalo.

A cantora Anitta também se manifestou através da hashtag. “Sim. Joe Biden está prestes a fazer um acordo climático secreto com Bolsonaro. Os povos indígenas do Brasil alertam: não confie em Bolsonaro. Não o deixe negociar o futuro da Amazônia”, destacou a brasileira para seus mais de 13,6 milhões de seguidores no Twitter.

O youtuber e influenciador Felipe Neto apoiou a campanha, sinalizando a necessidade de ouvir o povo brasileiro. "Por favor, ouçam nosso povo", escreveu no post, marcando os perfis de Biden e da vice-presidente Kamala Harris.

Na semana passada, 199 entidades brasileiras assinaram uma carta conjunta também endereçada a Biden, alertando o governo americano sobre a política ambiental de Bolsonaro. “Não é razoável que as soluções para a Amazônia e seus povos venham de negociações feitas a portas fechadas com o seu pior inimigo”, diz trecho da carta, divulgada pelo Observatório do Clima. Entre as organizações assinantes, estão a Apib, a Central Única dos Brasileiros (CUT), Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e o Greenpeace Brasil.