Em vídeo, pastor de São Paulo sugere receita de gargarejo para que fiéis 'não peguem coronavírus'

Gisele Barros
·3 minuto de leitura
Um posto de oração em Manaus, no Amazonas (Foto: Getty Images)
Um posto de oração em Manaus, no Amazonas (Foto: Getty Images)

O pastor de uma igreja em Praia Grande, em Santos, litoral paulista, gravou um vídeo que viralizou nas redes sociais, disseminando uma receita sem eficácia comprovada para evitar o contágio pelo coronavírus. Waldeir de Oliveria diz que recebeu a receita do irmão, que, por sua vez, tinha recebido a dica de um judeu. Nas imagens, ele diz que o gargarejo de uma mistura feita com água morna, bicarbonato de sódio e limão faria com que os fiéis "não pegassem coronavírus". A sugestão é refutada por especialistas e não há qualquer comprovação de que evitaria a Covid-19.

"Você vai fazer gargarejo antes de dormir todos os dias, e você não vai pegar o coronavírus, porque ele fica quatro dias alojado na garganta. Faz até acabar a água. Depois você me diga como é o resultado", declarou o pastor na publicação. É importante ressaltar que o Ministério da Saúde reforça que "até o momento, não há nenhum medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus".

Leia também

Ao "G1", Waldeir de Oliveira, que ministra na igreja Assembleia de Deus Ministério da Missão, disse que excluiu o vídeo após ser aconselhado, e que apenas deu uma dica com a publicação. "Meu irmão mora nos Estados Unidos há 40 anos. Eu expliquei bem no vídeo, ela não é para curar coronavírus, é para limpar a garganta", alegou. Questionado sobre a frase em que afirma que a pessoa não vai pegar o coronavírus, ele disse que era apenas um conselho. "Só era para ter higiene bucal e não efeito de remédio", finaliza o pastor.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A equipe do Fato ou Fake já fez um checagem sobre o assunto e confirmou com especialistas que a receita não tem eficácia, pode causar danos à saude e que não é verdade que o coronavírus passa dias na garganta de alguém infectado. Nas redes sociais, também já foi sugerida uma falsa cura com o gargarejo de sal, limão e vinagre.

"A infecção pelo coronavírus pode dar tosse seca, dor de garganta, mas não é possível dizer que essa tosse seca seja porque o vírus está na garganta e demora tantos dias para chegar no pulmão. Isso faz parte do quadro clínico da infecção e o tempo para o vírus chegar depende de cada pessoa. Não existe um tempo certo. O gargarejo com profutos corretos para isso pode ser bom para ajudar no alívio da tosse, mas dizer que elimina vírus é uma grande bobagem", afirma Leonardo Weissmann, médico infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia.

Outro ponto importante é que, além de não evitar mortes por coronavírus, a ingestão de limão e bicarbonato em excesso pode ser prejudicial à saúde, como explica o farmacêutico Leandro Medeiros, coordenador do curso de Farmácia da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap).

"O bicarbonato, quando em excesso no sangue, pode gerar o que chamamos alcalose metabólica, quando o sangue fica muito alcalino, o que pode levar a complicações neuromusculares e pode também sobrecarregar a função renal, especialmente", explica.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.