Em vídeo, presidente mexicano diz que 'está passando etapa crítica' da covid-19

·2 minuto de leitura
O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, antes do jantar de trabalho na Casa Branca, em 8 de julho de 2020, em Washington, D.C.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, ressurgiu nesta sexta-feira (29) em um vídeo no qual assegura que "está passando a etapa crítica" após ter sido diagnosticado com a covid-19.

Obrador não era visto desde a segunda-feira passada, quando foram divulgadas fotos suas que, segundo a Presidência, foram tiradas quando ele conversava por telefone com seu contraparte russo, Vladimir Putin.

"Ainda estou com covid, mas os médicos me dizem que a fase crítica já está passando. Agora me apresento a vocês para que não haja boatos (...) Estou bem, embora ainda tenha que fazer repouso", disse o chefe de Estado no vídeo difundido em suas redes sociais.

"Isso sim, tenho trabalhando, tenho cuidado de todos os assuntos públicos, e muito atento da pandemia, em particular", acrescentou o presidente, que anunciou ter testado positivo para a covid-19 no domingo passado.

Em sua mensagem, ele falou pausadamente, como é habitual, mas com voz firme enquanto caminhava pelos corredores do palácio do governo.

O líder de 67 anos é hipertenso e sofreu um infarto em 2013.

No vídeo, ele anunciou que em fevereiro espera-se a chegada ao México de seis milhões de doses de diferentes vacinas contra a covid-19.

Na segunda-feira passada, López Obrador acordou com Putin a compra de 24 milhões de doses da vacina Sputnik V, parte das quais deve chegar na próxima semana.

O país foi o primeiro da América Latina a aplicar uma vacina contra a covid-19 em 24 de dezembro, seguido no mesmo dia por Chile e Costa Rica.

O imunizante dos laboratórios americano e alemão Pfizer/BioNTech foi o primeiro com autorização de uso emergencial e o único disponível até agora no país.

O do britânico AstraZeneca já teve sinal verde e na semana passada chegou uma primeira remessa do princípio ativo, produzido na Argentina e que será envasado no México para distribuição na América Latina.

O México, com 126 milhões de habitantes, registrava até esta sexta-feira 1,8 milhão de contágios e 156.579 óbitos pelo coronavírus, o que o situa como o terceiro país mais enlutado pela pandemia em números absolutos, depois dos Estados Unidos e do Brasil.

nc/axm/yow/mvv