Em vídeos, Frota critica pré-candidatos à presidência da Câmara e Arthur Lira contesta no WhatsApp

Fernanda Alves
·2 minuto de leitura

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) gravou uma série de vídeos criticando os pré-candidatos ao posto de presidente da Câmara dos Deputados, cargo ocupado por Rodrigo Maia até janeiro de 2021. Intitulada ‘Loucos pela Presidência’, a sequência conta com nove gravações que foram divulgadas pelo WhatsApp, e que serão postados no novo canal no Youtube de Frota, lançado no final de outubro. O parlamentar, que estava fora das redes sociais desde agosto de 2019, prepara seu retorno para o Twitter e Facebook, previsto para acontecer em janeiro de 2021.

Entre os parlamentares que foram alvos de críticas nos vídeos estão Capitão Augusto (PL-SP), Fábio Ramalho (MDB -MG) e Marcos Pereira (Republicanos – SP).

– Dentro do Congresso, com o governo Bolsonaro, existe muito conchavo, armação, traição. Então os vídeos são uma maneira de eu não me calar – disse Frota, ao explicar o que o levou a produzir o conteúdo.

O deputado Arthur Lira (PP-AL), apontado como o candidato do presidente Jair Bolsonaro, tema de uma das gravações, não gostou as afirmações de Frota, que o chamou de ‘Rei Arthur’ e disse que o parlamentar alagoano é réu por corrupção.

Assim que o vídeo de Lira foi divulgado, o deputado enviou uma mensagem para Alexandre Frota, onde afirmou que a gravação não ‘refletia a realidade’ e que não via como a ação poderia ‘engrandecer o parlamento’.

‘Amigo, sempre te tratei com consideração e cordialidade! O vídeo publicado não refletirá nunca a realidade do que sou ou faço! Estou a sua disposição como sempre estive! Não vejo onde este tipo de ação engrandeça nosso parlamento’ diz o texto.

Frota prontamente respondeu, lembrando que os dois estavam em lados opostos, já que ele faz oposição a Jair Bolsonaro, de quem Lira é aliado.

‘Não é nada pessoal contra você, estamos no jogo e em guerra’, escreveu.

A conversa terminou em clima de ‘deixa disso’, com o alagoano se colocando à disposição de Frota e afirmando que nunca vai entrar em guerra contra nenhum deputado da Câmara.