Embaixada da Rússia no Reino Unido publica foto antiga de líderes do Brics

***ARQUIVO***BRASILIA, DF, 14.11.2019: O presidente Jair Bolsonaro posa para foto oficial com os presidentes dos países do Brics, Cyril Ramaphosa (África do Sul), Narendra Modi (primeiro-ministro da Índia), Vladmir Putin (Rússia) e o primeiro-ministro Xi Jinping (China) durante reunião de cúpula do grupo, no Palácio do Itamaraty. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A embaixada da Rússia no Reino Unido publicou nesta sexta-feira (15) uma imagem antiga em sua conta do Twitter sobre a 11ª Cúpula do Brics, realizada esta semana em Brasília.

A fotografia traz dois ex-presidentes entre os líderes dos cinco países que compõem o bloco, formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A publicação confundiu os mandatários do Brasil e da África do Sul e traz os ex-presidentes dos dois países: Michel Temer em vez de Jair Bolsonaro e Jacob Zuma no lugar de Cyril Ramaphosa.

Junto à imagem foi postado um texto, em inglês, com uma mensagem de Vladimir Putin sobre cooperação para energia nuclear dos Brics.

"Presidente Putin: A Rússia tem as tecnologias de geração de energia nuclear mais limpas, avançadas e ambientalmente amigáveis. Nós estamos prontos para expandir cooperação com as nações do Brics em projetos nucleares mutuamente benéficos", diz o texto.

O Brasil sediou esta semana a 11ª Cúpula do Brics, em Brasília, que reuniu além de Putin e Bolsonaro os líderes chinês, Xi Jinping, indiano, Narendra Moodi, e sul-africano, Cyril Ramaphosa.

A declaração final da cúpula abordou a crise humanitária no Sudão, a guerra no Iêmen, a ameaça nuclear na Coreia do Norte e os conflitos na Síria e na Líbia -mas não fez nem uma única menção à Venezuela e à Bolívia, países vizinhos ao Brasil que vivem turbulências políticas e econômicas.

O Itamaraty argumenta que apenas assuntos "de envergadura global" são incluídos em declarações do Brics. A crise venezuelana já gerou um êxodo de 4 milhões de refugiados.