Embaixador birmanês em Londres acusa junta militar de "ocupar" embaixada

·1 minuto de leitura
O embaixador birmanês no Reino Unido, Kyaw Zwar Minn, espera sem sucesso por uma resposta no interfone, ao lado de policiais de plantão em frente à embaixada de Mianmar em Londres em 7 de abril de 2021

O embaixador de Mianmar no Reino Unido, Kyaw Zwar Minn, denunciou nesta quarta-feira(7) que um militar ligado à junta birmanesa "ocupou" a sede diplomática de seu país em Londres e o impediu de acessá-la.

Questionado sobre quem está dentro da embaixada, Kyaw Zwar Minn respondeu: "O adido militar, eles ocupam minha embaixada."

A junta militar chamou o embaixador para consultas em março, depois que o diplomata emitiu um comunicado pedindo a libertação da líder civil destituída, Aung San Suu Kyi.

Manifestantes se reuniram em torno da embaixada birmanesa em Londres nesta quarta-feira, quando foi divulgado que o embaixador não poderia entrar.

“Quando saí da embaixada, eles correram para dentro e a tomaram. Eles pertencem ao exército birmanês”, declarou o diplomata ao jornal The Daily Telegraph.

“Disseram que receberam instruções da capital e que não me deixariam entrar”, acrescentou. "Eles não podem fazer isso. O governo britânico não os autorizará".

A polícia disse à AFP que tem "conhecimento de uma manifestação do lado de fora da embaixada de Mianmar" no centro da capital britânica e que enviou agentes ao local.

O Ministério das Relações Exteriores britânico disse que está "coletando mais informações após um incidente na embaixada de Mianmar em Londres".

O Reino Unido, antiga potência colonialista, sancionou vários funcionários da junta militar, incluindo seu chefe Min Aung Hlaing, por seu papel no golpe que derrubou o governo civil birmanês liderado por Aung San Suu Kyi.

mpa/mm/tjc/llu/jc/am/jc