Embaixador da Itália morre em ataque no leste da RD Congo

·1 minuto de leitura
Fotografia sem data do embaixador Luca Attanasio divulgada pelo ministério italiano das Relações Exteriores

O embaixador da Itália em Kinshasa morreu nesta segunda-feira (22) depois de ser atingido por tiros em um ataque contra o comboio do Programa Mundial de Alimentos (PMA), durante uma visita à região de Goma, leste da República Democrática do Congo (RDC), informaram fontes diplomáticas.

O embaixador Luca Attanasio "morreu em consequência dos ferimentos", declarou à AFP uma fonte diplomática de primeiro escalão em Kinshasa.

A Itália confirmou a morte de Attanasio, 43 anos, e que estava no posto desde o início de 2018.

"Com profunda dor, o ministério das Relações Exteriores confirma a morte, hoje em Goma, do embaixador italiano e de um policial italiano, que integravam um comboio da missão pacificadora da ONU chamada MONUSCO.

O ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, que estava em Bruxelas, anunciou o retorno imediato a Roma para acompanhar o caso.

Outras duas pessoas morreram no ataque, informou à AFP o major Guillaume Djike, porta-voz do exército na região de Kivu do Norte, sem revelar as identidades das vítimas.

Estas vítimas seriam o motorista e o segurança do embaixador, de acordo com várias fontes.

Gravemente "ferido por um tiro no abdômen", o embaixador foi levado para um hospital de Goma "em estado crítico", disse a fonte diplomática à AFP.

"As Forças Armadas congolesas estão na região para encontrar os criminosos", anunciou o exército.

O ataque contra o comboio do PMA aconteceu ao norte de Goma, a cidade mais importante da província de Kivu do Norte, cenário de atos de violência de grupos armados há mais de 25 anos.

A região abriga o parque nacional de Virginia, joia turística ameaçada, que também é cenário de conflitos entre os grupos armados que disputam o controle de suas riquezas naturais.

ak-bur/mar/me/fp