Embaixadores da UE apoiam sexta rodada de sanções à Rússia

Chefe da Igreja Ortodoxa Russa, patriarca Kirill

BRUXELAS (Reuters) - Diplomatas da União Europeia deram uma aprovação final nesta quinta-feira à sexta rodada de sanções do bloco contra a Rússia por invadir a Ucrânia, disse um diplomata à Reuters.

As sanções incluem uma proibição parcial do petróleo e removerão o principal banco da Rússia, o Sberbank, da plataforma internacional Swift. As sanções ocorrem depois que a Hungria negou repetidamente ao bloco a unanimidade necessária dos 27 países da UE, aumentando suas demandas nacionais.

Na quinta-feira, disse o diplomata, o acordo foi finalmente possível depois que os outros 26 países concordaram em remover da lista proposta de sanções o chefe da Igreja Ortodoxa Russa e um aliado próximo do Kremlin, o patriarca Kirill, para apaziguar Budapeste.

O acordo entra em vigor às 04h (horário de Brasília) de sexta-feira, a menos que um Estado-membro levante objeções, disse o diplomata. A imposição legal das sanções seguiria logo depois.

(Reportagem de Gabriela Baczynska)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos